Patrícia Beatriz Albuquerque Correia, uma mulher de apenas 38 anos, teve uma filha que foi muito desejada, porém, morreu contaminada pelo coronavírus antes mesmo de ter a chance de conhecer a menina.

A dona de casa Patrícia Beatriz deu à luz uma menina que recebeu o nome de Ana Beatriz. A bebê nasceu prematura devido a uma complicação na gestação causada por um quadro de eclampsia e também por contaminação do novo coronavírus. A mãe da recém-nascida veio a óbito no último sábado (25), pela doença causada pelo coronavírus.

Internação

Patrícia foi internada com urgência no hospital de Colider no dia 23 de junho, e com apenas 34 semanas de gestação deu à luz a Ana Beatriz através de uma cesária de urgência.

A situação da mãe e filha era bastante complicada, pois além da eclampsia tinha o coronavírus.

Após o nascimento foi constatado que a recém-nascida também estava contaminada, devido à gravidade no quadro de Saúde, mãe e filha foram transferidas para Unidades de Terapias Intensivas de outros hospitais, um na capital Cuiabá e outro em Goiânia.

Patrícia, que foi encaminhada para a UTI de Goiânia, permaneceu todo o tempo em isolamento e intubada em estado de coma induzido.

Familiares

A cunhada de Patrícia relatou que ela foi ao hospital por estar com muita falta de ar, em seguida aconteceu a cesária de emergência e logo ela foi intubada, vindo a falecer sem conhecer a pequena Ana Beatriz, que realizava o sonho da mãe de ter uma filha, uma menina.

O pulmão de Patrícia estava com 5% de comprometimento. A cunhada afirma que os médicos retiraram gradativamente a sedação, mas o máximo que a dona de casa fez foi abrir os olhos. Desde que deu entrada no hospital ela nunca mais falou uma palavra.

O marido

Valtair Porto, marido de Patrícia Beatriz, contou que foi o primeiro a testar positivo para a doença causada pelo coronavírus, em seguida, dois de seus três filhos também foram contaminados, porém, todos desenvolveram um quadro mais leve da doença, o que infelizmente não aconteceu com Patrícia.

Valtair diz que foi a Goiânia para acompanhar o tratamento da esposa. Ele conta que recebeu informações diárias através de boletins médicos, mas como Patrícia estava em isolamento, ele não pode visitá-la ou ter qualquer tipo de contato.

Mencionando a mistura de sentimentos entre a dor da morte de Patrícia e a alegria do nascimento de Ana Beatriz, Valter diz que diante da situação busca força em Deus, pois tudo está sendo muito assustador.

Ana Beatriz

A bebezinha Ana Beatriz recebeu tratamento para o coronavírus durante 9 dias após o nascimento, até que recebeu alta. Ao ser liberada no hospital Ana foi para a casa da tia em Pontes e Lacerda.

A família de Patrícia diz que Ana é uma grande guerreira e que todos esperavam ansiosamente pela recuperação de Patrícia para que ela pudesse conhecer a sua filha tão desejada, o que infelizmente não aconteceu.

O enterro de Patrícia foi realizado na manhã desta segunda-feira (27), após uma carreata feita por familiares e amigos da família. O corpo foi enterrado na cidade de Pontes e Lacerda no Mato Grosso.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!