Um estudante de medicina de 27 anos foi preso em flagrante pela Polícia civil do Paraná. O jovem, que reside no bairro Morumbi em Foz Do Iguaçu, é acusado de manter a própria mãe de 52 anos em cárcere privado.

Denúncia

A polícia civil recebeu uma denúncia através do disque 100, de que havia uma senhora em cárcere privado, e em situação de maus-tratos em uma residência. Após receber a denúncia, a PCPR se dirigiu até o endereço fornecido para averiguar os fatos, que foram constatados assim que chegaram ao local.

O estudante estava na residência e recebeu os policiais. A mãe do jovem estava semi-nua, deitada em uma cama sem lençóis e toda suja de urina.

As janelas do quarto estavam fechadas e cobertas com papel alumínio, desta forma a mulher não tinha acesso à luz solar, e nem contato com a vizinhança. O quarto sem ventilação e higienização adequada fedia a fezes, outros cômodos também tinham um cheiro muito forte, não identificado pelos policiais.

Além do ambiente totalmente inabitável, a mulher apresentava fraqueza e um quadro de desnutrição. Hematomas foram encontrados no rosto da mulher, que de acordo com o filho, foram ocasionados pelas quedas constantes que a mãe sofre.

A mulher precisou de ajuda médica. Uma ambulância foi chamada ao local para atendimento, pois ela não conseguiu sair de casa sozinha.

Depoimento

O jovem que foi preso em flagrante negou o crime.

O rapaz de 27 anos é estudante de medicina, e frequenta uma faculdade no Paraguai, divisa com o Brasil. Mãe e filho são naturais de Pernambuco, e se mudaram para o Paraná no ano de 2019 em decorrência do curso. A mãe que saiu de sua terra natal para acompanhar o filho, também é responsável pelo sustento da casa.

Os dois sobrevivem com a aposentadoria da mulher que é ex-professora.

Segundo informações da polícia, o rapaz aparentava boa Saúde mental, sem sinais de problemas psicológicos.

Em depoimento o jovem confirmou a versão de que os hematomas foram ocasionados por quedas, e que o isolamento da mãe era em decorrência ao novo coronavírus.

Ele afirma que a mulher tinha medo de ser contaminada.

Questionado pelo quadro de saúde da mãe, o jovem alega que não procurou ajuda médica, pois estuda medicina, porém ele ainda cursa o primeiro semestre da graduação.

Relatos da Delegada

De acordo com a delegada Mônica Ferracioli, assim que a polícia apurou os fatos, a mulher foi encaminhada ao atendimento médico. A vítima deverá ser ouvida apenas quando receber alta hospitalar.

Mônica afirma que as informações prestadas em depoimento pelo jovem parecem suspeitas. Ele afirma que trouxe sua mãe para lhe fazer companhia, porém ela e seu pai não são separados. De acordo com o jovem, seu pai trabalha em período integral num sítio, e por isso a mãe teria vindo com ele.

Vizinhos e parentes devem ser interrogados, parentes do Pernambuco também serão ouvidos.

O jovem foi solto após prestar depoimento e responde em liberdade.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!