Um plano está sendo traçado no intuito de proteger a menina de 10 anos que foi abusada pelo tio e teve que interromper uma gravidez de 5 meses, fruto do crime. Após ter interrompido a gestação, a menina não voltará para a cidade onde morava, em São Mateus, no Espírito Santo, mudará de endereço e terá inclusive uma nova identidade. As informações foram divulgadas em primeira mão pelo portal Universa após terem sido obtidas através de pessoas do alto escalão do governo do Estado.

Além disso, aos familiares da menina que não estão envolvidos no caso, também foram oferecidos dois programas criados de proteção a pessoas.

Tais programas terão duração de dois anos, contudo, poderão ser renovados por mais dois. Um dos programas oferecidos aos familiares da vítima foi o Programa de Apoio e Proteção às Testemunhas, Vítimas e Familiares de Vitimas da Violência (Provita), que proporciona a reinserção social em outro território.

O aluguel dos familiares que atualmente seguem com a guarda da menina também será bancado pelo governo. Atualmente, a criança segue com a avó, isso porque sua mãe já morreu e seu pai está preso. As identidades dos envolvidos no caso não foram divulgadas com o intuito de preservar a criança, contudo, mesmo assim grupos fundamentalistas religiosos organizaram um protesto em frente ao hospital na tentativa de evitar o processo de aborto na menor de idade.

Menina deixa o hospital

Após ter passado pelo processo de aborto na última segunda-feira (17), a menina de 10 anos, que foi vítima de abusos por quatro anos, recebeu alta médica na quarta-feira (19). Na terça-feira (18), a direção do Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros, que realizou o procedimento da menina, informou que a menina estava bem e já tinha condições de receber alta, contudo, isso não poderia acontecer antes que medidas fossem adotadas no intuito de preservar a vítima.

Depois disso, a alta da menina foi confirmada nesta quarta-feira, pelo Cisam, contudo, não foi divulgado o horário que a mesma deixou a unidade e nem para onde seguiu. Para realizar o procedimento, a vítima teve que viajar para o Recife, isso depois que o hospital local que havia lhe atendido se negou a realizar o aborto.

Tio é preso em Minas Gerais

Na última terça-feira, o tio da menina, principal suspeito do crime, foi detido em Betim, Minas Gerais. Ao relatar o crime, a menor de idade afirmou que era vítima deste crime há cerca de quatro anos, contudo, disse que não havia denunciado por estar sendo ameaçada. Após a prisão, o suspeito chegou a prestar depoimento na Polícia, porém, o conteúdo não foi divulgado. Mesmo assim, de acordo com informações do portal G1, “informalmente” o tio da menina teria confessado à equipe policial que seria o autor do crime.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!