Um caso bizarro, que aconteceu em uma das lojas do Carrefour, localizada em Pernambuco, ganhou as redes sociais e está causando muita revolta.

De acordo com o portal de notícias do jornal Extra, um funcionário do supermercado Carrefour sofreu um mal súbito e faleceu dentro do estabelecimento. O mais chocante é que os responsáveis pelo local optaram por esconder o corpo com guarda-sóis e mantiveram as atividades da loja, como se nada tivesse acontecido.

Carrefour ficou aberto, mesmo com o funcionário morto

O supermercado fica na cidade do Recife, capital de Pernambuco. O caso aconteceu na manhã da última sexta-feira (14), a Polícia foi acionada e a retirada do corpo ficou por conta do IML.

Testemunhas que estavam no local perceberam que havia algo de errado. A loja seguiu funcionando e recebendo clientes por aproximadamente quatro horas, até que uma equipe do Instituto Médico Legal chegou ao supermercado para recolher o corpo.

Caso do funcionário morto no Carrefour causa revolta

O episódio não passou despercebido por clientes, que ficaram revoltados com a situação. Várias pessoas tiraram fotos e compartilharam nas redes sociais. Nesta terça-feira (18), a história começou a ganhar repercussão na internet e viralizou.

Internautas de todo o país se mostraram indignados com o caso. Uma colega de trabalho afirmou que o senhor que faleceu era uma pessoa “incrível” e que agora “turno da manhã nunca mais será o mesmo”.

Nas redes sociais este é um dos assuntos mais comentados na manhã desta quarta-feira (19)

Assim que as críticas começaram a invadir as redes sociais, o Carrefour resolveu se pronunciar a respeito do ocorrido.

De acordo com a rede de supermercados, Moisés foi vítima de um infarto fulminante. A empresa afirma estar dando todo apoio e suporte para a família do funcionário. Ainda segundo a empresa, depois deste triste acontecimento, o protocolo foi revisto e a partir de então, caso aconteça uma fatalidade como esta, o estabelecimento será obrigado a fechar.

Cadela morta em uma unidade do Carrefour em São Paulo

Não é a primeira vez que o Grupo Carrefour se vê em meio a uma grande polêmica. No ano de 2018, uma cadela, que era carinhosamente chamada de Manchinha, vivia no estacionamento do supermercado localizado na cidade de Osasco, na Grande São Paulo.

A cadela foi espancada por um segurança da unidade, e os clientes filmaram as agressões e compartilharam nas redessociais, o que causou uma onda de revolta e comoção. O caso aconteceu no dia 28 de novembro de 2018.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!