Um dos padres mais populares do Brasil está sendo investigado pelo Ministério Público de Goiás, que apura supostas irregularidades na construção da nova Basílica do Divino Pai Eterno, que teve início em 2012, em Trindade, estado de Goiás.

De acordo com a revista Época, em sua nova edição, o padre Robson de Oliveira Pereira, de 46 anos, é suspeito de liderar uma organização criminosa que desviou a quantia de R$ 60 milhões que foram doados pelos fiéis.

Avião e outros itens de luxo

Por meio de doações, os féis acreditavam estar colaborando para a construção da Basílica do Divino Pai Eterno, porém, a investigação aponta que esse dinheiro estaria sendo utilizado também para comprar casa na praia, residência em condomínio fechado, apartamentos em São Paulo e Goiânia, fazendas em todo o Brasil, avião e outros itens de luxo.

A investigação também apura um suposto esquema bilionário de lavagem de dinheiro com a colaboração de laranjas.

Divino Pai Eterno

Trindade recebe milhares de romeiros vindos de todo o Brasil, para participarem da celebração da festa do Divino Pai Eterno. Hoje, o responsável e organizador deste evento que acontece desde o século 19 é o padre Robson de Oliveira.

No ano de 2004, ele criou a Associação dos Filhos do Pai Eterno, a Afipe, que arrecadou doações de todo o país por meio de boletos enviados pelo correio.

Além da Afipe, o sacerdote ainda criou mais outras duas associações que movimentaram 2 bilhões de reais entre os anos de 2008 e 2018.

Afipe virou empresa

Segundo o promotor Sebastião Marcos Martins, coordenador da investigação, a Afipe se transformou em uma grande empresa no Estado de Goiás e, além de ter sido usada para aquisição de inúmeros imóveis, ainda realizava outras atividades como a mineração e a agropecuária.

Decepção de fiéis

O padre Robson de Oliveira, que está acostumado a rodar o país e atrair multidões para suas missas, entristeceu o coração de milhares de seus fiéis, principalmente de mulheres e avós católicas de todo o Brasil, seu maior público, que acreditaram e depositaram toda sua fé e esperança no sacerdote.

Esclarecimento dos fatos

A Arquidiocese de Goiânia e a Província dos Missionários Redentoristas de Goiás, por meio de uma nota, dizem que estão dispostas a colaborar com a investigação, que estão de acordo com a apuração de quaisquer denúncias em desfavor de seus membros e aguardam, com transparência, os esclarecimentos de todos os fatos.

Siga a página Religião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!