O homem de 33 anos, suspeito de violentar e engravidar a própria sobrinha, uma menina de 10 anos, em São Mateus, no Espírito Santo, foi preso na madrugada desta terça-feira (18), em Betim, região metropolitana de Belo Horizonte. Segundo informações apuradas pelo jornal O Tempo, o próprio suspeito negociou se entregar a Justiça, isso desde que recebesse proteção policial para que pudesse voltar em segurança para o Estado.

Em vídeo que anda circulando nas redes sociais e é atribuído ao suspeito, que inclusive já possui passagens na Polícia pelo crime de tráfico de drogas e chegou a ficar detido entre os anos de 2011 e 2018, ele afirma que está em Betim, onde permaneceria aguardando a chegada dos policiais.

Na gravação, o que seria o suspeito pede para que os fatos sejam devidamente apurados e que o avô e outro tio da menor de idade também sejam investigados. Além disso, o homem também diz esperar “que dê tudo certo”. A Polícia Civil não confirmou a autoria do vídeo.

Segundo informações passadas pela Polícia Civil do Espírito Santo, a equipe que realizou a prisão do tio da menina ainda está a caminho do Estado. Após a chegada deles, eles afirmam que será convocada uma coletiva de imprensa no intuito de divulgar mais detalhes do caso.

Governador do ES confirma prisão do suspeito

Na manhã desta terça-feira (18), a prisão do suspeito foi confirmada através das redes sociais pelo governador do Estado, Renato Casagrande, do PSB.

Ao anunciar a novidade do caso, o governador afirmou que isso possa servir como lição para as pessoas que insistem na prática de crimes brutais, cruéis e inaceitáveis.

Relembre o caso

Todo o país teve conhecimento deste crime cruel no dia 8 de agosto, quando a menina de 10 anos deu entrada na unidade hospitalar de São Mateus se queixando de dores de barriga.

Após exames, foi constatado que ela estava grávida de 22 semanas. Diante do caso, a Justiça decretou a prisão preventiva do tio da menina na quarta-feira (12), contudo, desde então ele estava foragido. Para a polícia, a vítima chegou a afirmar que sofria abusos sexuais há ao menos quatro anos.

Depois disso, a família entrou com um pedido judicial para que a menina realizasse o procedimento de aborto do feto e, desde então, o assunto dividiu opiniões nas redes sociais.

Por fim, a Justiça optou por autorizar o aborto, procedimento que foi realizado nesta segunda-feira (17) em Recife, Pernambuco.

Para expelir o feto a menor de idade teve que viajar para outro estado, isso depois que o Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes (Hucam), que havia sido designado pela Justiça a realizar o procedimento, se negou a fazê-lo. Para justificar não ter cumprido a ordem judicial, a unidade hospitalar ressaltou a estágio avançado da gestação.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!