Um terrível caso de abuso infantil aconteceu na cidade de São Mateus, Espírito Santo. Uma menina de apenas 10 anos foi vítima de abusos por mais de quatro anos, e o suspeito de cometer o crime e engravidá-la é o próprio tio.

De acordo com informações da Polícia Civil do estado, o caso só chegou ao conhecimento das autoridades porque a criança deu entrada no último sábado (8) em um dos hospitais públicos de São Mateus, com a suspeita de gravidez.

Atendimento

A garota de apenas 10 anos foi levada ao Hospital Estadual Roberto Silvares por uma familiar.

Ao ser atendida pela equipe médica, os profissionais perceberam que a barriga da menina estava maior do que deveria para sua estrutura física e idade, neste momento eles optaram por realizar um teste de gravidez no qual foi confirmada a gestação de quase três meses.

Após a confirmação, a equipe hospitalar acionou a polícia e um mandado de prisão temporária foi expedido contra o suspeito. A criança, que morava com seus avós, foi encaminhada para um abrigo municipal onde passa por atendimento médico e cuidados psicológicos. A identidade do suspeito não foi revelada, assim como o paradeiro dos pais da menina.

Suspeito

Mesmo com o mandado de prisão em mãos, a polícia não conseguiu executar a prisão do tio.

Segundo informações, os agentes chegaram a procurar pelo suspeito nas casas de familiares, porém foram informados de que o homem havia fugido sem relatar para onde ia devido à exposição do caso, e fotos publicadas nas redes sociais.

O delegado responsável pela investigação, Leonardo Malacarne, confirmou que o tio da menina foi indiciado por abuso contínuo de vulnerável e ameaça.

Aborto

Marinalva Broedel, secretária de Assistência Social da cidade de São Mateus, concedeu uma entrevista ao jornal Gazeta onde relatou que a possibilidade de um aborto está sendo analisada e que eles aguardam a decisão do judiciário.

Embora o aborto seja considerado crime no Brasil desde o ano de 1940, existem duas exerções na legislação, sendo uma delas em casos que a gestação cause riscos para a vida da mãe, e o segundo caso é quando a gravidez acontece em decorrência de abuso sexual.

Nos casos da gestante ter menos de 18 anos, o responsável legal precisa autorizar o aborto.

Damares se manifesta

Damares Alves, a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, se manifestou sobre o caso em seu Twitter, onde informou que a sua equipe já estava contatando as autoridades locais para auxiliar a vítima, seus familiares e acompanhar o resultado final do processo.

Campanha social

Uma campanha foi iniciada por usuários das redes sociais, onde a hashtag #gravidezaos10mata vem tomando uma grande proporção.

O objetivo dos internautas é garantir que a menina, que ainda é uma criança e já sofreu por tanto tempo, tenha o direito de ter o aborto garantido.