Araucária, na região metropolitana de Curitiba (PR), está chocada com o assassinato de uma mãe cometido pelo seu próprio filho. Uma idosa de 71 anos foi torturada e morta pelas mãos do homem, de 38 anos. O crime ocorreu na madrugada da última quinta-feira (10) no bairro Jardim Iguaçu, na cidade.

Tortura

A idosa Ana Maria Muniz foi assassinada dentro da própria casa. Segundo informações da Ric RecordTV, ela apresentava sinais de crueldade em seu corpo.

Ana foi golpeada com uma faca e teve um de seus olhos arrancados. Mãe de cinco filhos, seu corpo foi encontrado por uma de suas filhas e um de seus netos.

Ana também estava com sinais de que seu cabelo havia sido arrancado. Além de torturar e tirar a vida da mãe, o filho caçula também matou o gato de estimação da idosa e o jogou sobre o seu corpo.

O filho oi socorrido com sinais de automutilação, e um helicóptero o transportou para o hospital do Rócio, localizado no município de Campo Largo, no qual ele seque internado em estado grave.

Apesar da gravidade de seu quadro de saúde, a equipe médica informou à Polícia que o homem não corria risco de vida e que poderia prestar esclarecimentos em breve.

Polícia

Em entrevista à RIC RecordTV, policias que trabalham no caso relataram que já presenciaram crimes bárbaros no decorrer de suas carreiras, porém este com certeza está no topo.

Um dos policiais chegou a dizer que é difícil de falar sobre as atitudes do filho.

O perito que analisou a cena do crime, revelou que a senhora sofreu diversas pancadas, que tinha pedaços do corpo arrancados e que ele escalpelou a mãe botando o couro cabeludo ao lado do corpo.

Quando a equipe chegou ao local, a idosa já estava morta e seu filho estava aos fundos da residência, com sinais de intoxicação causados pela inalação de gás de cozinha.

Ainda de acordo com os agentes, existe a suspeita de que o homem é usuário de drogas. O perito encontrou uma substância parecida com cocaína no quarto dele junto a uma cédula. O material foi enviado para análise técnica.

Após a alta hospitalar

Vizinhos da família relataram que mãe e filho brigavam constantemente, pois ela não aceitava o envolvimento dele com as drogas.

Após a alta hospitalar, o homem prestou depoimento no qual negou diversas vezes ter matado a mãe. Na saída da delegacia, repórteres tentaram entrevistá-lo, mas ele estava completamente abalado e chorava muito. Sem conseguir falar nenhuma palavra, seguiu direto para a cadeia.

Depoimento

O depoimento do suspeito durou cerca de 30 minutos. De acordo com a polícia, ele mal lembra do que realmente aconteceu no dia do crime.

O homem relatou que estava orando com sua mãe quando ela pulou em cima dele. Ele lembra de seus cabelos caindo e de seus olhos escurecerem, e depois disso teria caído em sono profundo.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!