Um caso que chocou o país aconteceu na Praia Grande, litoral de São Paulo. Uma jovem de 20 anos jogou um bebê da janela do segundo andar de um prédio. A Mulher vai responder pelo crime de infanticídio.

Porém, a pena que ela vai cumprir será mais branda, isso pois, de acordo com o laudo psicológico, ela estava em puerpério - um estado psicológico alterado depois do parto.

Segundo a delegada responsável pela Delegacia de Defesa da Mulher, Lyvia Bonella, a jovem de 20 anos fez o exame em São Paulo e o resultado comprovou que ela estaria ainda sob efeito puerperal, por essa razão a pena dela será mais leve.

A delegada ainda explicou que a pena por infanticídio sob efeito psicológico vai de dois a seis anos de reclusão. Já para o homicídio, a pena é maior pode ir de 6 a 20 anos de reclusão. De acordo com Bonella, a jovem não mudou seu depoimento e segue dando a mesma versão.

Crime de infanticídio

Apesar de o resultado ter saído só agora, o crime aconteceu em 18 de junho. Uma auxiliar de serviços gerais do prédio onde a jovem morava, encontrou o bebê e, juntamente com o zelador do local, chamou a Polícia. Ao investigar, a polícia achou nas imagens da câmera de segurança todo o processo feito pela jovem.

De acordo com o depoimento dado por ela à polícia, ela não sabia que estava grávida. As sete da manhã foi ao banheiro e sozinha realizou o parto.

O médico legista comprovou que o bebê nasceu vivo e não morreu pela queda do segundo andar, mas sim por asfixia.

Não foi determinado se a asfixia foi causada pelo fato de o bebê ter sido colocado em um saco de lixo, mas ele não tinha marcas de estrangulamento no pescoço. O celular da mãe do bebê foi apreendido.

Entenda o caso

Uma auxiliar de serviços gerais do edifício onde a jovem mora contou que pela manhã viu um saco de lixo estranho, todo lixo estava no balde, mas aquele saco estava separado. Segundo Cristiane Pereira, de 45 anos, quando ela pegou o saco tinha muito sangue e estava ainda morno.

A funcionária decidiu então chamar o zelador do prédio, eles abriram o saco de lixo e viram o bebê.

Eles ligaram para a polícia e contaram o que havia acontecido.

A polícia militar da Praia Grande acionou a polícia civil. No edifício haviam marcas de sangue pelos locais onde a jovem de 20 anos passou com o saco de lixo onde estava o bebê.

Toda a cena foi registrada pelas câmeras de segurança do local, dando para ver o momento em que o saco com o bebê cai e quando a mãe arrasta o saco para a lixeira do prédio.

De acordo com a polícia, a mulher não demonstrou que estava arrependida. Durante o interrogatório, ela respondeu todas as perguntas de maneira calma e objetiva. O corpo do bebê foi levado ao Instituto Médico Legal pelos socorristas do SAMU.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!