O pré-candidato a vereador do município de Patrocínio, em Minas Gerais, Cássio Remis (PSDB), foi assassinado momentos depois de ter participado de uma live nas redes sociais. Remis participou de uma transmissão ao vivo na tarde de quarta-feira (24), onde denunciou uma obra que vem sendo realizada pela prefeitura. Em um momento da transmissão, o político foi interrompido pelo secretário de obras, Jorge Marra (PTB), que chegou ao local em uma caminhonete e tirou o celular de Remis. Antes de ter o telefone arrancado de sua mão, o pré-candidato a vereador ainda disse que eles haviam chegado lá para lhe agredir.

“Não pega meu telefone!”, disse.

Depois disso, já em outro vídeo, o secretário de obras aparece saindo com seu veículo, enquanto Remis permanecia na frente do carro no intuito de impedir que Marra levasse seu celular. Sem conseguir impedir que o aparelho fosse levado, Cássio seguiu para secretaria de obras, onde tentou entrar para recuperar o telefone e, neste momento, acaba sendo baleado. Jorge Marra é o principal suspeito de ter cometido o crime.

Câmeras de segurança flagram confusão

A equipe de reportagem do portal UOL teve acesso às imagens das câmeras de segurança que flagraram toda a confusão entre Remis e Marra. As imagens mostram o momento em que os dois discutem, até que o suspeito saca uma arma de fogo e sai correndo atrás do político efetuando disparos.

De acordo com informações da Polícia Militar, Cássio foi vítima de seis disparos, cinco deles apenas na cabeça. Remis morreu ainda no local. O secretário de obra, que é irmão do atual prefeito da cidade, Deiró Marra (DEM), segue foragido da Justiça.

Prefeito se pronuncia sobre o caso

No início da tarde de quarta-feira (24), o prefeito da cidade de Patrocínio se pronunciou sobre o ocorrido e lamentou a “sequência de fatos”.

Além disso, a Prefeitura também decretou um luto de três dias pela morte do pré-candidato. Segundo Deiró, nesta quinta-feira (25) o secretário de obras será exonerado de seu cargo. O prefeito ainda afirmou não saber o paradeiro do irmão, contudo, disse esperar que ele possa “enfim esclarecer” e fazer “suas argumentações”.

De acordo com a Polícia Civil de Minas Gerais, investigadores e equipes de perícia estiveram no local do crime e já fizeram os primeiros levantamentos. A polícia afirmou ainda que as testemunhas seriam ouvidas ainda na tarde de quarta-feira na Delegacia de Plantão.

O pré-candidato a vereador, Cássio Remis, de 37 anos, era advogado e vereador pelo partido PSDB. No ano de 2008, Remis foi eleito vereador pela primeira vez. O ano de 2013 também marcou a carreira de Cássio, isso depois que ele assumiu a presidência da Câmara de Vereadora de Patrocínio, se tornando assim o político mais jovem a assumir o cargo no município.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!