Imagens publicadas na internet pela Agenda Nacional Pelo Desencarceramento, que está ligada à Pastoral Carcerária, a qual defende o desencarceramento de presos durante a pandemia do novo coronavírus, mostram presos deitados no piso da enfermaria da cadeia alegando falta de ar.

A gravação do vídeo foi realizada no interior do presídio estadual Cyridião Durval de Oliveira e Silva, em Maceió, no estado de Alagoas.

Imagens de presos viralizam na web

Nas imagens é possível ver cinco detentos deitados no chão e alegando falta de ar.

A Pastoral Carcerária alega que o problema está relacionado à superlotação das cadeias públicas, alinhada com a falta de circulação de ar dentro das celas dos apenados.

Durante as imagens, a pessoa responsável pela gravação alega ter ajudado a retirar um dos apenados que estava deitado no piso e levá-lo para a sala da enfermaria.

Imagens enviados para o Depen

As imagens de presos sendo atendidos por enfermeiras no chão do Cyridião foram enviadas pelo Depen (Departamento Penitenciário Nacional), que, após ser notificado sobre a exibição das imagens, cobrou informações da Seris (Secretaria de Estado de Ressocialização e Inclusão Social).

Em resposta, a Seris explica que, desde o início da pandemia do coronavírus, até momento nenhum detento faleceu vítima da Covid-19 no estado de Alagoas. Ainda de acordo com informações da Seris, existem no presídio 44 casos confirmados de coronavírus –todos recuperados e que seguem em observação– e 13 casos suspeitos.

Defensoria Pública cobra explicações

Após a repercussão do caso, na manhã desta segunda-feira (14), a Defensoria Pública de Alagoas cobrou respostas por parte dos administradores da casa de detenção Cyridião Durval de Oliveira e Silva. A entidade ainda cobra dos responsáveis explicações sobre o estado de saúde dos apenados que foram flagrados no vídeo.

Ainda pela manhã, a Seris publicou uma nota, em que explica que os doentes foram devidamente atendidos por uma equipe de especialistas da instituição e, após o diagnóstico, por precaução, todos foram enviados para um hospital de campanha do sistema prisional de Alagoas. Também consta na nota que, após o atendimento, os presos não apresentaram nenhuma queixa.

Entretanto, os detentos seguem em observação e deverão passar por uma nova avaliação médica ainda nesta segunda-feira. A Seris também informa que deverá abrir um processo administrativo com o intuito de investigar o ocorrido.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Corrupção
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!