Nos últimos dias, a Polícia Civil do Paraná vem trabalhando em parceria com a Polícia Civil de São Paulo com o intuito de localizar e prender o foragido da Justiça Paulo Cupertino, 48 anos, que em 2019 assassinou à queima-roupa o ator e namorado de sua filha, Rafael Miguel, e os pais do jovem.

Segundo nota lançada pelas autoridades paranaenses na manhã desta quarta-feira (28), Cupertino teria sido preso durante uma abordagem em uma blitz da Polícia Militar do Paraná, no norte do estado. Após uma averiguação das informações, a equipe de investigadores de São Paulo, chefiada pelo delegado-geral Ruy Ferraz Fontes, notou que a PM do Paraná cometeu um equívoco ao enviar as informações.

Paulo Cupertino segue foragido

O autor da morte de Rafael Miguel segue foragido desde junho do ano passado, quando, após um desentendimento com a família do ator em frente a sua casa, sacou uma arma e efetuou sete disparos contra Miguel, quatro disparos contra o pai e dois contra a mãe do jovem. Segundo informações da polícia, o crime foi motivado pelo fato de que Cupertino não aceitar o namoro de sua filha, Isabela Tibcherani, com o ator.

Paulo Cupertino teria conseguido uma identidade falsa

Na última segunda-feira (26), a Polícia Civil de São Paulo informou que Cupertino teria conseguido fazer um novo documento de identidade a partir de uma Certidão de Nascimento falsa. Ainda de acordo com as investigações, o documento, com o nome de Manoel Machado da Silvam, teria sido emitido na cidade de Jacarezinho, interior do Paraná.

Em depoimento à polícia, o funcionário do escritório que fez o documento para Cupertino afirmou não se lembrar do suspeito. Além do seu nome, Paulo também conseguiu falsificar os nomes dos pais, além de alterar o local de nascimento, declarando ser sul-mato-grossense.

Paulo Cupertino tornou-se réu por triplo homicídio

Desde junho deste ano Cupertino responde na Justiça pelos assassinatos. Ele foi enquadrado no crime de triplo homicídio duplamente qualificado praticado por motivo fútil e impossibilitando as vítimas de defesa. Ainda em junho, a Polícia Civil de São Paulo incluiu o nome do réu entre os 10 mais procurados de SP.

No total, os investigadores já analisaram em torno de 300 endereços em 10 estados brasileiros, além de buscar informações em países vizinhos como Paraguai e Argentina. A polícia também indiciou dois amigos do réu por favorecimento pessoal ao ajudarem na facilitação na fuga, dando dinheiro, transporte, comida e roupas ao foragido.

Relembre o caso

De acordo com o Boletim de Ocorrência feito no dia 19 de junho de 2019, consta que o ator Rafael Henrique Miguel, 22 anos, acompanhado pelos pais João Alcisio Miguel, de 52 anos, e Miriam Selma Miguel, 50, se deslocaram até a residência de Paulo Cupertino com a intenção de conversar com o futuro sogro de Rafael sobre o relacionamento dos filhos.

Ainda segundo informações, na época o casal e o filho foram recebidos na frente da casa pela mãe de Isabella e pela própria, quando repentinamente Cupertino chegou no local armado, iniciou uma breve discussão com os três e logo em seguida sacou sua arma e começou a efetuar disparos contra a família, causando a morte instantânea das vítimas.

Após os disparos, o empresário fugiu do local. Um dia após o crime, a polícia afirmou ter encontrado uma carta escrita anonimamente informando o suposto paradeiro do atirador. Logo em seguida, as autoridades começaram a lançar nos meios de comunicação divulgações sobre uma provável aparência do suspeito.

Segundo as simulações, acredita-se que no momento Cupertino esteja de cabelos longos, barba branca entre outros aspectos, os peritos do Laboratório de Arte Forense da Polícia Civil estão analisando várias versões sobre a suposta aparência do foragido. No momento existe uma série de versões do réu usando boné, óculos escuros, com cabelo grande, cabelo curto, ou cabelo raspado.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!