O apresentador do programa "Brasil Urgente", transmitido pela Band, José Luiz Datena, teve uma discussão com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB) nesta última quinta-feira (22). Datena recebeu em seu programa o governador para uma entrevista sobre a chamada “vacina chinesa”, CoronaVac. A discussão se deu por causa de uma discordância, e no final, o apresentador ainda disse ser a “pior entrevista”.

O governador do Estado de São Paulo condenou a fala do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), que afirmou que o seu governo não vai comprar doses da CoronaVac. Para Doria, essa atitude de Bolsonaro é criminosa diante do povo brasileiro.

No diálogo, Datena pediu a palavra e pontuou que a CoronaVac ainda está sendo usada de uma forma mais emergencial na China. Ele disse ainda que não está tendo aplicação em massa lá na China.

Doria interrompeu o apresentador dizendo não ser verdade. Por sua vez, Datena pediu para terminar o seu raciocínio, e o governador interrompeu insistindo que o que ele estava dizendo não era verdade.

O clima “esquentou” quando Doria deu um exemplo de que havia registro de regressão da covid-19 na Indonésia, e o apresentador dizendo que na Europa há uma previsão de uma segunda onda do coronavírus. Datena perguntou o porquê de tanta briga se a vacina nem estava pronta e complementou afirmando que se Doria está acusando Bolsonaro de usar a vacina politicamente, a mesma acusação o presidente esta fazendo com Doria.

Em resposta, o governador paulista negou e pediu desculpas, porém, ele estava seguindo as orientações científicas. Disse ainda que nunca falou a ninguém que a covid-19 se tratava de uma “gripezinha”, em referência à frase de Bolsonaro negando o coronavírus. Porém, o apresentador rebateu dizendo que Doria tinha dito que “o pior tinha passado”.

Doria disse que o pior tinha passado mesmo, que o Estado de São Paulo entrou em um estado de declínio de casos e que o próprio Jornal da Band noticiou todas as noites e pediu para Datena perguntar para seu colega de emissora, o jornalista Eduardo Oinegue, que apresenta o programa.

As rebatidas

Essa resposta não agradou o apresentador do "Brasil Urgente" e logo esbravejou que não estava ali para perguntar a um jornalista e sim, estava ali para perguntar para o governador.

E ainda disse que Doria não precisava mandar ele perguntar para um “companheiro” dele. Datena disse que estava perguntando ao político e indagou porque o governador disse que o pior já passou, e o motivo dele estar brigando tanto por causa dessa vacina.

Doria respondeu dizendo que era porque se precisa ter uma vacina. Mesmo que no Estado de São Paulo o pior já passou, ainda existe uma pandemia. A covid-19 precisa ser controlada com essa vacina ou com outras, e essa é a posição da ciência. Então, Datena rebateu questionando as aberturas das escolas e a volta às aulas só aconteceriam quando o Estado tivesse uma vacina. Doria retrucou dizendo que há 20 médicos que são especialistas que irão cuidar disso.

Ao final Datena afirmou que não tinha gostado da entrevista. "Não gostei da entrevista nem da sua participação e nem da minha. Menos da minha, é claro”, disse Datena.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página PSDB
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!