O estado de Santa Catarina tem a semana marcada por um caso que abalou a população, principalmente os moradores da cidade de Indaial. Um homem de 47 anos foi preso sob suspeita de abuso infantil cometido contra os próprios filhos. De acordo com a equipe da Polícia Civil, o homem é pai de uma menina de 7 anos e de gêmeos de 4, todos abusados constantemente por ele.

Prisão

O mandado de prisão foi executado pela Polícia Civil na última sexta-feira (16), após uma investigação que durou cerca de dois meses, realizada pelo Setor de Investigação Criminal (SIC) do município catarinense. Após a prisão, o suspeito foi encaminhado à UPA (Unidade Prisional Avançada) da cidade de Indaial, onde permanece à disposição da Justiça.

Os abusos

Ainda de acordo com informações dos agentes policiais, o homem e sua ex-companheira estão separados e dividiam a guarda das crianças.

Marcos Ito Okuma, delegado responsável pelas investigações, relatou que nos dias em que os filhos estavam sob os cuidados do pai ocorriam os abusos. O delegado relatou ainda que durante os abusos ele obrigava os filhos gêmeos de apenas 4 anos tocassem um ao outro de forma íntima.

Atendimento psicológico

Durante o processo investigativo, uma psicóloga especializada neste tipo de casos que realiza trabalhos junto a equipe de investigadores teve acesso às crianças, com quem manteve uma conversa. Ao conversar com as crianças, a profissional conseguiu confirmar que os abusos realmente aconteciam.

As próprias crianças relataram o que o pai vinha fazendo com elas.

A participação da psicóloga foi essencial para o desfecho, pois, após a conversa dela com as crianças, o mandado de prisão pode ser expedido, e a polícia conseguiu realizar a detenção.

Legislação brasileira

De acordo com a legislação brasileira, se condenado pelo crime de abuso, a pena varia de 6 a 10 anos de reclusão.

No caso de os abusos serem cometidos contra crianças menores de 14 anos, ou seja, abuso de vulnerável, a pena é agravada e vai de 8 a 15 anos de prisão em regime fechado.

Outro agravante deste caso é o fato de que os abusos eram cometidos pelo próprio pai, o que, perante a lei, configura-se em crime cometido contra ascendente com grau de parentesco natural ou civil, resultando assim em um aumento da penalidade.

Estatísticas

De acordo com as estatísticas brasileiras, três crianças ou adolescentes são vítimas de abusos no país a cada hora. Meninas são o alvo principal, alcançando 73,4% contra 23,6% em meninos, com números correspondes a crianças de 0 a 9 anos. Nos casos que evolvem vítimas de 10 a 19 anos, as meninas marcam 92,2% contra 7,8% de casos contra meninos.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!