Um homem cadeirante de Bauru (SP), chamado Luiz Antônio Barreto, de 42 anos, foi jogado de um viaduto e veio a óbito. O caso aconteceu na última quarta-feira (29), por volta das 7h10. Um homem em situação de rua, com a idade de 36 anos, foi preso em flagrante acusado de homicídio triplamente qualificado. Contudo, a altura que o cadeirante caiu não foi informada pela Polícia.

As imagens das câmeras de monitoramento registraram o momento que o suspeito estava empurrando a cadeira de rodas da vítima desde a linha férrea (trem) até chegar ao local do crime que era o viaduto João Simonetti, que fica na rua Treze de Maio.

Durante o caminho, relata o boletim de ocorrência, a vítima foi bastante agredida na região da cabeça com vários tapas. Então, ao chegar no viaduto, o cadeirante foi violentamente retirado de sua cadeira de rodas –ele não tinha as duas pernas– e jogado no rio Bauru.

Por estar com seu leito raso, o rio não amorteceu a queda do cadeirante e o mesmo veio a falecer por se chocar contra o concreto que canaliza o rio. Diz um trecho do BO que a vítima com gravidade em seus ferimentos sangrou até desmaiar enquanto varias pessoas se aproximaram para tentar socorrer a vítima e tentaram segurar o homem que praticou o crime.

O homem que jogou o cadeirante, de acordo com o boletim de ocorrência, apanhou de alguns dos desconhecidos, mas mesmo apanhando, conseguiu correr por uma rua de terra em direção à favela São Manoel, às margens da linha férrea.

Enquanto o mendigo corria, a PM (Polícia Militar) foi chamada e assim passou a procurar o homem. O suspeito foi achado já perto do viaduto na avenida Nuno de Assis, que fica a cerca de um quilômetro de onde teria jogado o cadeirante. Preso e algemado, segundo diz o boletim de ocorrência, o suspeito ficou muito nervoso e confessou que tinha matado a vítima.

O cadeirante vendia balas nas ruas da cidade de Bauru, segundo registros da polícia, que segue investigando o caso. O caso foi registrado na Central de Polícia Judiciaria de Bauru como um homicídio triplamente qualificado por motivo fútil, crueldade e também traição.

Depoimento do sobrinho

Segundo o jornal G1, o sobrinho do cadeirante Luiz Antônio Barreto, que foi jogado em um viaduto no dia 29 de outubro, lamenta muito o que aconteceu com seu tio.

O vendedor Maycon Barreto, de 24 anos, disse que seu tio tinha quatro filhos e três netos, vivia na rua por causa dos vícios de droga e álcool. E ainda, conta que seu tio tinha perdido as duas pernas aos 14 anos em um acidente na linha férrea no centro de Bauru.

O rapaz, que trabalha como vendedor de roupas numa loja no centro da cidade, contou ao G1 que mesmo Luiz Antônio tendo forças nos braços por conta de vários anos de cadeira de rodas, as chances de se defender eram mínimas.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!