Nesta quinta-feira (21), o recém-empossado prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM), anunciou em suas redes sociais a suspensão das comemorações de Carnaval na cidade em 2021. Já o prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), informou nessa sexta-feira (22) em entrevista coletiva, que a tendência é que a festa seja cancelada, mas preferiu não dar uma sentença definitiva.

Até o momento, as festividades haviam sido prorrogadas e estavam previstas para acontecer no mês de julho.

O Carnaval no Brasil

O Carnaval é um evento antiga e também a maior festa popular celebrada no Brasil. Sua origem remonta à Antiguidade, e está associada às festividades pagãs na Mesopotâmia, Grécia e Roma.

Com o fortalecimento da Igreja durante a Idade Média, houve uma tentativa de ressignificar o Carnaval sob a perspectiva cristã. Foi quando surgiu a Quaresma, caracterizada pelo jejum durante os 40 dias que antecedem a Páscoa. Assim as festividades, que eram realizadas pelo povo em paralelo, também conhecidas como “festas pagãs” e nomeadas de carnis levale, passaram a se concentrar nesse período como uma forma da igreja legitimar os excessos dos fiéis antes do rigor exigido na Páscoa.

No Brasil, durante o período colonial, ocorriam as primeiras manifestações carnavalescas denominadas como “entrudo”, onde as pessoas saiam nas ruas atirando dejetos, como lama e urina, umas nas outras. Essa brincadeira de origem portuguesa, mas praticada pelos escravos, foi proibida no ano de 1841, embora fosse usual até metade do século XX.

A partir de 1930, outras formas de expressão popular deram vida ao Carnaval como os cordões, as escolas de samba, os desfiles de afoxés e as manifestações de frevo e maracatu. Elas transformaram então o Carnaval na festa mais expressiva da cultura brasileira, especialmente nos estados do Rio de Janeiro e Bahia.

O Carnaval possui data móvel, determinada pelos critérios responsáveis por definir a Páscoa, fixada exatamente 47 dias antes desta comemoração.

Em 2020 a festa foi celebrada no dia 25 de fevereiro, e muitos acusam este de ter sido o momento crucial para a propagação do Covid-19, que confinou a população mundial e já matou milhares de pessoas.

Cancelamento do Carnaval

Diante do contágio iminente do coronavírus, foram adotadas uma série de medidas de segurança, sendo uma delas a proibição de aglomerações, que é o principal ingrediente do Carnaval.

A vacinação abria margens para a realização dos festejos, entretanto, com os percalços encontrados para a imunização da população contra a Covid-19 e a exigência de um período mínimo para garantir a imunidade de rebanho, a festa foi repensada.

O Rio de Janeiro já havia informado uma nova data para o calendário de comemorações de Carnaval, juntamente com as cidades de Salvador e São Paulo. Entretanto nesta quinta (21), Eduardo Paes (DEM), prefeito do Rio de Janeiro, anunciou o cancelamento do Carnaval e na sexta (22) foi a vez do prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), se manifestar.

No entanto, Bruno não quis dar um posicionamento definitivo sobre a questão, afirmando que seria impraticável a realização da festa mas que preferia deixar a questão em aberto.

Segundo Bruno Reis, "o carnaval só poderá ocorrer após imunização em massa, após as três milhões de pessoas em Salvador serem vacinadas. Diante do cenário hoje, com o cronograma de vacina que temos, é fácil imunizar todo mundo até julho, para a gente realizar o c\Carnaval?", questionou.

É importante destacar que esta não é apenas a maior festa popular brasileira, responsável por arrastar milhões de foliões para as ruas, mas também um período que possui grande importância para a economia do país, tendo em vista que a festa movimenta bilhões de reais anualmente.

Siga a página Carnaval
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!