O tema Pilar da Palavra ganhou foco nesta segunda-feira (12), com a abertura da 58ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. A celebração de missa presidida pelo bispo auxiliar da arquidiocese do Rio de Janeiro, dom Joel Portella Amado, marcou o início deste período que segue até sexta-feira (16). Este bispo é também secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), organizadora deste evento. O local da celebração foi a Capela Nossa Senhora Aparecida, na sede da entidade, em Brasília. A assembleia, por sua vez, ocorre na modalidade online, por causa da pandemia do novo coronavírus.

Período retrata Pilar da Palavra

No período de reflexão do Pilar da Palavra na assembleia estarão congregados, bispos diocesanos e auxiliares, cardeais, arcebispos, coadjutores, bispos eméritos e representantes de organismos pastorais. Segundo o site da CNBB, o tema Pilar da Palavra é uma proposição das Diretrizes Gerais da Ação da Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE-2019 a 2023). A troca de informações, ponderações e sugestões, ocorrerão das 8h às 12h e das 14h às 17h. Apesar da impossibilidade de votação de documentos, haverá reflexão do tema "Casas da Palavra – Animação Bíblica da vida e da pastoral nas comunidades eclesiais missionárias".

Pilar da Palavra e Ano Vocacional

Ainda segundo a CNBB, além do Pilar da Palavra, cerca de outros 30 assuntos sobre a Igreja Católica no Brasil estarão na agenda destes estudiosos ao longo do evento.

O portal Canção Nova destaca a aprovação pelos bispos, por unanimidade, nesta terça-feira (13), da realização do Ano Vocacional em 2023. Na oportunidade, acatando proposta da Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e à Vida Consagrada da mais alta instituição religiosa Católica no Brasil, serão comemorados também os 40 anos do primeiro ano temático dedicado à reflexão, oração e promoção das vocações no país.

Em declaração ao site da Canção Nova, o bispo de Tubarão (SC) e presidente da Comissão para os Ministérios Ordenados, dom João Francisco Salm, disse que o Ano Vocacional de 2023 representa a oportunidade de continuar um processo que começou no ano de 1983, com o primeiro ano vocacional do Brasil.

Ainda segundo dom João Francisco Salm, este acontecimento de 1983 "favoreceu e ampliou o reconhecimento de que toda a comunidade cristã é responsável pela animação, cultivo e formações das vocações".

Foi marcante também o ano de 2003, acrescenta o Bispo. Com evento de mote “Batismo, fonte de todas as vocações”, além de assinalar o segundo ano vocacional no país, conta Dom João, "promoveu um novo despertar vocacional".

Em 2019, o 4º Congresso Vocacional do Brasil assumiu a responsabilidade pela organização das atividades de celebração dos 40 anos de instalação do Ano Vocacional no Brasil.

Siga a página Religião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!