Não é de hoje que se fala dos transplantes capilares realizados na Turquia e países vizinhos: são mais naturais, usam mais fios por sessão e são mais baratos do que no Brasil, EUA e outros países. Este é o lado marketeiro do lucrativo mercado da medicina estética, mas a realidade é outra, e bem diferente.

Embora muitas clínicas tenham médicos como responsáveis e diversos digital influencers indiquem o procedimento como sendo perfeito e sem riscos, dados da International Society of Hair Restoration Surgery, indicam que apenas 20% dos transplantes capilares realizados na Turquia são feitos por médicos.

Ou seja, 80% das cirurgias são realizadas por pessoal não-médico, incluindo até taxistas que aderiram ao lucrativo mercado do transplante capilar.

O transplante Capilar no exterior implanta mais cabelo

Existe um limite na quantidade de fios que pode ser retirada da área doadora para que a integridade e naturalidade da região sejam mantidas. Assim como também existe um limite para a quantidade de fios que pode ser implantada na área receptora. A retirada da área doadora varia de acordo com a técnica realizada, FUT ou FUE:

Transplante capilar FUT: essa técnica consiste em retirar a área doadora por meio de uma incisão linear, que depois é suturada (une-se as bordas e sutura).

Atualmente, quando realizada com as técnicas atuais, a FUT não deixa cicatrizes visíveis. As cicatrizes extensas, aquelas bem visíveis com até 1 dedo de largura, ocorrem quando o cirurgião retira mais área doadora do que poderia.

Existe uma tabela da quantidade máxima que se pode retirar de cada paciente por sessão, a chamada Escala de Mayer. Essa escala permite que se extraia o máximo de fios sem que a região tencione exageradamente, afinal é a tensão durante a cicatrização que ocasiona as cicatrizes enormes na área doadora.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Saúde

Muitos cirurgiões recomendam que pacientes que precisem de sessões maiores, realizem a Massagem Capilar até 2 meses antes do procedimento para aumentar a elasticidade na região doadora. Essa massagem aumenta a elasticidade, propiciando uma quantidade maior de fios extraída e uma recuperação melhor.

Na técnica FUE: amplamente divulgada como a ‘Técnica sem incisão ou Sem Corte’, a FUE parece ser infalível mas não é bem assim. Apesar de retirar a área doadora através de minúsculas incisões (sim, ela precisa de incisões!), caso o médico exceda o limite de retirada, a área doadora ficará com falhas visíveis e densidades diferentes por toda a área.

No Brasil, ainda não foi divulgado este tipo de resultado inestético, mas na Europa onde as clínicas ilegais atuam há anos é muito comum. Inclusive, segundo cirurgiões brasileiros, o número de pacientes estrangeiros que buscam correção de transplante capilar aqui no Brasil, aumentou muito nos últimos 2 anos.

Limite na implantação na área receptora

Isso vale para ambas técnicas (FUT e FUE): existe um limite de fios (unidades foliculares) que pode ser implantado por região porque a vascularização da área só é suficiente para que o médico implante cerca de 50/cm2 folículos com segurança.

Excedendo essa quantidade, os fios cairão e não nascerão novamente, ou seja, o paciente saiu da cirurgia com vários fios transplantados super feliz e esperançoso, mas apenas uma certa quantidade deles crescerá. E o pior, os fios que não cresceram foram perdidos! Fios que poderiam ser utilizados mais para frente, em uma nova sessão, foram para o ralo, literalmente.

O resultado é mais natural

Os resultados do Transplante Capilar dependem muito do cirurgião que o realizou, isto porque o transplante capilar é a união de técnicas cirúrgicas com arte, com o olhar artístico e estético de cada cirurgião.

É importante lembrar que os médicos brasileiros especializados no procedimento e que fazem parte da ISHRS, uma das sociedades mais influentes e rigorosas do transplante capilar, são mais de 50! Inclusive, essa mesma sociedade internacional tem um médico brasileiro como vice-presidente, o dr. Arthur Tykocinski. Então dizer que o transplante capilar é melhor lá fora do que aqui dentro é um desserviço com os profissionais brasileiros e uma inverdade.

O que ocorre no Brasil, é que devido as regras do Conselho Regional de Medicina, os médicos não podem divulgar as fotos dos resultados de cirugia plásticas ou tratamentos. Claro, que alguns burlam as regras e exibem resultados, mas o que esperar de um cirurgião que desrespeita regras?

O transplante Capilar lá fora é mais barato

Verdade incontestável. Realmente é em mais barato, é possível pagar até R$6.000 em um transplante capilar FUE no exterior, na Turquia podemos encontrar até mais barato! Só que não são realizados por médicos e sim por técnicas de enfermagem e até mesmo pessoal sem qualificação na área da Saúde. Apesar de parecer um procedimento fácil, retira-se cabelo de um lugar e planta em outro, o transplante capilar é uma cirurgia e só deve ser realizada por médicos-cirurgiões especializados em transplante capilar. O preço baixo pode sair mais caro do que o esperado: além dos fios não crescerem e as cicatrizes puderem ser visíveis, há o risco de infecções e até mesmo contagio de doenças como HIV e hepatites.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo