4

Não é de hoje que se fala dos transplantes capilares realizados na Turquia e países vizinhos: são mais naturais, usam mais fios por sessão e são mais baratos do que no Brasil, EUA e outros países. Este é o lado marketeiro do lucrativo mercado da medicina estética, mas a realidade é outra, e bem diferente.

Embora muitas clínicas tenham médicos como responsáveis e diversos digital influencers indiquem o procedimento como sendo perfeito e sem riscos, dados da International Society of Hair Restoration Surgery, indicam que apenas 20% dos transplantes capilares realizados na Turquia são feitos por médicos. Ou seja, 80% das cirurgias são realizadas por pessoal não-médico, incluindo até taxistas que aderiram ao lucrativo mercado do transplante capilar.

O transplante Capilar no exterior implanta mais cabelo

Existe um limite na quantidade de fios que pode ser retirada da área doadora para que a integridade e naturalidade da região sejam mantidas.

Assim como também existe um limite para a quantidade de fios que pode ser implantada na área receptora. A retirada da área doadora varia de acordo com a técnica realizada, FUT ou FUE:

Transplante capilar FUT: essa técnica consiste em retirar a área doadora por meio de uma incisão linear, que depois é suturada (une-se as bordas e sutura). Atualmente, quando realizada com as técnicas atuais, a FUT não deixa cicatrizes visíveis. As cicatrizes extensas, aquelas bem visíveis com até 1 dedo de largura, ocorrem quando o cirurgião retira mais área doadora do que poderia.

Existe uma tabela da quantidade máxima que se pode retirar de cada paciente por sessão, a chamada Escala de Mayer. Essa escala permite que se extraia o máximo de fios sem que a região tencione exageradamente, afinal é a tensão durante a cicatrização que ocasiona as cicatrizes enormes na área doadora.

Muitos cirurgiões recomendam que pacientes que precisem de sessões maiores, realizem a Massagem Capilar até 2 meses antes do procedimento para aumentar a elasticidade na região doadora. Essa massagem [VIDEO] aumenta a elasticidade, propiciando uma quantidade maior de fios extraída e uma recuperação melhor.

Na técnica FUE: amplamente divulgada como a ‘Técnica sem incisão ou Sem Corte’, a FUE parece ser infalível mas não é bem assim. Apesar de retirar a área doadora através de minúsculas incisões (sim, ela precisa de incisões!), caso o médico exceda o limite de retirada, a área doadora ficará com falhas visíveis e densidades diferentes por toda a área. No Brasil, ainda não foi divulgado este tipo de resultado inestético, mas na Europa onde as clínicas ilegais atuam há anos é muito comum. Inclusive, segundo cirurgiões brasileiros, o número de pacientes estrangeiros que buscam correção de transplante capilar aqui no Brasil, aumentou muito nos últimos 2 anos.

Limite na implantação na área receptora

Isso vale para ambas técnicas (FUT e FUE): existe um limite de fios (unidades foliculares) que pode ser implantado por região porque a vascularização da área só é suficiente para que o médico implante cerca de 50/cm2 folículos com segurança.

Excedendo essa quantidade, os fios cairão e não nascerão novamente, ou seja, o paciente saiu da cirurgia com vários fios transplantados super feliz e esperançoso, mas apenas uma certa quantidade deles crescerá. E o pior, os fios que não cresceram foram perdidos! Fios que poderiam ser utilizados mais para frente, em uma nova sessão, foram para o ralo, literalmente.

O resultado é mais natural

Os resultados do Transplante Capilar dependem muito do cirurgião que o realizou, isto porque o transplante capilar é a união de técnicas cirúrgicas com arte, com o olhar artístico e estético de cada cirurgião.

É importante lembrar que os médicos brasileiros especializados no procedimento e que fazem parte da ISHRS, uma das sociedades mais influentes e rigorosas do transplante capilar, são mais de 50! Inclusive, essa mesma sociedade internacional tem um médico brasileiro como vice-presidente, o dr. Arthur Tykocinski. Então dizer que o transplante capilar é melhor lá fora do que aqui dentro é um desserviço com os profissionais brasileiros e uma inverdade.

O que ocorre no Brasil, é que devido as regras do Conselho Regional de Medicina, os médicos não podem divulgar as fotos dos resultados de cirugia plásticas ou tratamentos. Claro, que alguns burlam as regras e exibem resultados, mas o que esperar de um cirurgião que desrespeita regras?

O transplante Capilar lá fora é mais barato

Verdade incontestável. Realmente é em mais barato, é possível pagar até R$6.000 em um transplante capilar FUE no exterior, na Turquia podemos encontrar até mais barato! Só que não são realizados por médicos e sim por técnicas de enfermagem e até mesmo pessoal sem qualificação na área da Saúde. Apesar de parecer um procedimento fácil, retira-se cabelo de um lugar e planta em outro, o transplante capilar é uma cirurgia e só deve ser realizada por médicos-cirurgiões especializados em transplante capilar. O preço baixo pode sair mais caro do que o esperado: além dos fios não crescerem e as cicatrizes puderem ser visíveis, há o risco de infecções e até mesmo contagio de doenças como HIV e hepatites.