Pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade de Stanford analisaram os dados genéticos de mais de 40,5 milhões de crianças recém-nascidas nos Estados Unidos entre os anos de 2007 e 2016.

O estudo publicado na revista científica British Medical Journal revelou que a idade paterna avançada pode comprometer a gestação e influenciar na Saúde do bebê. O risco do parto prematuro, peso abaixo da média ao nascer e o baixo índice de Apgar estão associados à paternidade tardia.

Publicidade
Publicidade

O índice de Apgar é uma escala que avalia sinais da criança recém-nascida como a frequência cardíaca, o esforço respiratório, o tônus muscular, a irritabilidade reflexa e a cor de um modo geral.

Os pesquisadores científicos de Stanford usaram como base os dados estatísticos do Sistema Nacional de Estatísticas Vitais e analisaram fatores como idade gestacional dos pais, peso ao nascer, índice de Apgar, ocorrência de internação em UTI e sinais de convulsões.

Publicidade

A tentativa de engravidar já é parte do desafio uma vez que normalmente o casal de idade mais avançada leva mais tempo para fecundar. Nas genitoras, inclusive, ocorreram evidências de diabetes gestacional e pré-eclâmpsia.

Os dados apontam que filhos de pais com mais de 45 anos são 14% mais predispostos a nascerem prematuros e 18% mais chances de apresentarem convulsões quando comparados com bebês de pais que tenham entre 25 e 34 anos.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Saúde Mulher

Com o passar dos anos, os tecidos dos testículos envelhecem e a vascularização diminui. Isso significa a defasagem do fornecimento de nutrientes e oxigênio para os gametas, o que compromete o processo de divisão celular durante a fecundação.

A pesquisa liderada pelo dr. Michael L. Eisenberg também apontou que quanto mais avançada a idade do pai, maior é a possibilidade do recém-nascido precisar de ajuda para respirar ou, em casos mais graves, de internação na UTI neonatal.

Estilo de vida saudável é fundamental

A pesquisadora de saúde pública reprodutiva da Universidade de Toronto, Hilary K. Brown, defende que os médicos reforcem aos pacientes a necessidade de que todos em idade reprodutiva, sejam homens ou mulheres, adotem um estilo de vida saudável.

Isso porque, além do casal desenvolver uma gravidez saudável, esse o estilo de vida também implica na prevenção de doenças crônicas.

Publicidade

Hilary rebateu ainda que os homens precisam assumir uma maior consciência e responsabilidade em relação à saúde da reprodução do casal.

Nesse sentido, a paternidade tardia apresenta algumas vantagens. Sob essa perspectiva, pais maduros têm uma maior segurança e estabilidade financeira e também contam com mais tempo e paciência para criar os filhos.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo