Às vésperas do Carnaval, brasileiros se preocupam com a epidemia que chegou com um crescente número de casos suspeitos no país. O Ministério da Saúde já notificou, até a semana que antecede o Carnaval, ao menos 47 casos suspeitos, apesar de não ter nenhum confirmado. A expectativa é que este número aumente com a chegada de turistas estrangeiros e a aglomeração dos foliões nas ruas.

Sintomas e transmissão do vírus

Os sintomas do covid-19, como está sendo chamado o novo coronavírus pela OMS (Organização Mundial de Saúde), se parecem com os sintomas de uma simples gripe ou de leves doenças respiratórias.

O que deve ser observado com atenção para evitar conclusões equivocadas e a eventual evolução de um possível quadro por mera desinformação.

É recomendado na cartilha da Anvisa que, em caso de suspeita, os possíveis infectados evitem a proliferação do vírus e procurem atendimento médico o mais rápido possível, para que seja efetuado o diagnóstico. Assim como os resfriados e doenças infecciosas que são transmitidas através de fluido corporal, o covid-19 se mostra altamente contagioso quando o infectado estabelece contato próximo com outra pessoa.

Dicas do especialista e cuidados no Carnaval

Em entrevista à BBC News Brasil, Rosana Richtmann, médica do Instituto de Infectologia Emilio Ribas, explica o que deve ser feito para se proteger. Sempre tomando os mesmos cuidados necessários de higiene para qualquer doença infecciosa. "Ainda não se sabe quanto tempo o coronavírus sobrevive fora do corpo, mas o vírus da influenza, por exemplo, pode resistir por até 24 horas em superfícies mais porosas" diz Rosana.

A médica sinaliza, ainda, a importância de manter o ambiente e os aparelhos celulares limpos e livres de bactérias que podem causar essa doença e inúmeros tipos de outras. Entretanto, essas viroses são facilmente combatidas quando tratadas com higienização correta, feita com água, sabão e álcool, além de outros métodos recomendados por especialistas e conhecidos pelo meio popular.

Todavia, alguns desses métodos não são hábitos do brasileiro, como o uso de máscaras de proteção.

As máscaras, popularmente usadas nas ruas da China, ajudam bastante a evitar contato direto com fluídos contaminados (como a saliva), apesar de não ser um método que evite totalmente o contágio.

Vale lembrar que o governo brasileiro mantém uma plataforma online responsável por atualizar diariamente informações sobre o vírus e dicas de segurança. Seguindo os passos dos especialistas e se mantendo atualizado nas publicações do Ministério da Saúde, é possível aproveitar um Carnaval saudável e prevenido.

Não perca a nossa página no Facebook!