Agentes sanitários e profissionais de diversas áreas da Saúde atendem sem equipamentos de segurança adequados e entram em contato direto com o vírus, através de pacientes contaminados. A ação, segundo reportagem publicada pela BBC News Brasil, repete situações que acontecem nos EUA, China e Europa.

Realizando atendimentos contínuos de suspeitas de coronavírus, casos de enfermeiros que são postos em quarentena para análise de sintomas aumenta no país. Nessa terça feira (24), a enfermeira Amanda, profissional de um hospital da rede privada do Brasil, descreveu a atual situação do sistema de trabalho.

Ela relatou à BBC News Brasil que após atender um paciente que apresentava sintomas de tosse e desconforto respiratório, sem máscara, em alguns dias começou a manifestar os sintomas característicos de Covid-19, ficando de quarentena afastada da família até confirmação da doença.

Amanda também relatou que os atendimentos estavam sendo feitos pelos profissionais da saúde, sem utilização de máscara, devido orientação da própria instituição hospitalar para não “causar pânico nos pacientes”. Durante sua descrição do ocorrido, Amanda conta sobre sua preocupação que não fica restrita aos companheiros de trabalho, mas também a todos os outros pacientes, que sem proteção ficam expostos a pessoas que podem estar contaminadas.

Profissionais da saúde com proteção escassa

Todos os profissionais da área da saúde do Brasil estão atuando na linha de frente do combate ao novo coronavírus, enfrentando um cenário de sofrimento e riscos devido à falta de equipamentos adequados para preservação de segurança. Situação essa que se repete tanto em hospitais públicos quanto privados.

Enfermeiros com Covid-19 relataram em entrevista à BBC News Brasil que foram contaminados durante as atividades de trabalho e por provável falta de equipamentos de proteção.

Agora estão inviabilizados de auxiliar no tratamento dos pacientes vítimas da epidemia.

Em nota ao caso, os hospitais do estado de São Paulo manifestaram que existe um protocolo de segurança que vem sendo seguido. Relataram o cuidado de preservação dos profissionais da saúde e de todos os pacientes. Descrevendo que fazem uso dos equipamentos determinados pelo órgão responsáveis, e que esses são indispensáveis no combate ao vírus.

"Estados já começaram a receber os insumos e devem encaminhar aos municípios", informou o Ministério da Saúde do Brasil. "Cabe reforçar que as aquisições do Ministério da Saúde são complementares aos estoques que as gestões locais realizam para o abastecimento das unidades de saúde da rede pública", completou.

Não perca a nossa página no Facebook!