Algumas horas depois que o presidente da República Jair Bolsonaro voltou a pedir o fim do isolamento social, medida recomendada para conter o avanço do novo coronavírus, e afirmar que espera que as medidas restritivas impostas por governadores e prefeitos cheguem ao fim ao longo dessa semana, alguns ministros se manifestaram sobre isso.

Paulo Guedes, o ministro da Economia, e Nelson Teich, o ministro da Saúde, chegaram a afirmar que o fim do isolamento social deve ser feito de maneira gradual e precisará passar por estruturação e planejamento para dar certo. Os dois ainda salientaram que isso deve ser feito em seu devido tempo.

É possível afirmar que as regras relativas à quarentena imposta atualmente no Brasil foram o principal ponto de discordância entre Bolsonaro e Luís Henrique Mandetta, ex-ministro da Saúde. Devido a essas divergências, Mandetta acabou deixando o cargo em questão ainda na última quinta-feira (16), após várias semanas tentando conduzir o combate ao novo coronvírus de acordo com as recomendações feitas por autoridades médicas e pela própria Organização Mundial de Saúde.

Ao comentar a respeito das declarações de Jair Bolsonaro, Teich destacou que será necessário atuar em três segmentos fundamentais para conseguir uma melhor compreensão da doença, para a realização de diagnóstico e também para a compreensão de como o Covid-19 evolui no organismo.

Além disso, Teich ainda destacou que será importante ter preparo em termos de infraestrutura para que seja possível promover o tratamento e, por fim, o atual ministro da Saúde afirmou que será necessário “desenhar de forma progressiva” uma estratégia que possibilitará o fim do isolamento social.

As afirmações do ministro foram feitas através de um vídeo, divulgado pela sua assessoria nas redes sociais ainda durante a noite da última segunda-feira.

Também durante o vídeo em questão, Nelson Teich chegou a falar que os números relativos à compra de testes aumentaram de 24 milhões para 46 milhões. Entretanto, o ministro da Saúde não deu uma previsão para que eles sejam entregues.

Bolsonaro fala sobre o isolamento social

Ainda durante a manhã segunda-feira, Jair Bolsonaro chegou a afirmar que esperava que essa semana fosse a última da quarentena e destacou que “a massa” não está mais aguentando ficar em casa porque a “geladeira está vazia”.

O presidente ainda chegou a falar que as medidas de distanciamento social foram excessivas em alguns estados e que 70% da população brasileira será infectada pelo novo coronavírus, não importando o quanto se tente fugir disso.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!