Cientistas chineses do Instituto Harbin de Pesquisa Veterinária, em Hong Kong, descobriram que o novo coronavírus pode ser transmitido de humanos para gatos, de acordo com estudos cujos resultados prévios foram publicados no dia 31 de março. As pesquisas sugerem que os felinos podem passar o vírus a outros felinos, mas não a humanos. Cachorros, por sua vez, parecem não ser tão suscetíveis à infecção.

A equipe, liderada pelo virologista Bu Zhigao, realizou o estudo a partir da introdução de alta concentração do novo coronavírus em 5 gatos. Dois deles, submetidos à eutanásia posteriormente por outras razões não relativas à covid-19, ainda apresentavam partículas do vírus em seus tratos respiratórios.

Nenhum dos gatos apresentou sintomas relativos à doença causada pelo coronavírus, sendo mantidos próximo a felinos não infectados. Posteriormente, os cientistas verificaram que um dos gatos não exposto ao vírus anteriormente apresentava o RNA viral, o que sugere que houve transmissão entre os Animais.

Os 4 gatos que testaram positivo para o coronavírus desenvolveram anticorpos contra ele. O estudo apontou que o acompanhamento de como felinos respondem ao SARS-CoV-2 pode ajudar no desenvolvimento de tratamentos contra a doença em humanos. Os pesquisadores também verificaram que o furão é outro animal suscetível à infecção pelo vírus.

Donos de pets não devem se preocupar

A virologista Linda Saif, da Universidade do Estado de Ohio, chamou atenção para o fato de que, para o estudo, os gatos foram expostos a uma alta concentração do vírus e que este não reproduz as interações cotidianas da vida real.

Sendo assim, donos de animais não devem se preocupar no momento.

Segundo declarou à revista Nature, não há evidências de que gatos domésticos secretem uma quantidade de coronavírus capaz de infectar humanos, apontando ainda que apenas 1 dos 3 felinos expostos aos animais infectados contraiu o SARS-CoV-2.

Dirk Pfeiffer, epidemiologista da Universidade da Cidade de Hong Kong, considera que a pesquisa demonstra que gatos não representam um fator relevante no alastramento do coronavírus, não sendo, portanto, vetores.

O Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos Estados Unidos recomenda que as interações com animais de estimação devem ser limitadas no caso de seus donos estarem com a covid-19, evitando abraçar os bichos e dividir alimentos.

Até o momento, há um caso de felino infectado por seu dono na Bélgica, após o indivíduo retornar de viagem à Itália. O vírus foi encontrado nas fezes e no vômito do gato, que além de diarreia apresentou dificuldades para respirar, segundo o departamento de medicina veterinária da Universidade de Liège. O dono apresentou sintomas de covid-19 uma semana antes de o animal ser testado.

Em Hong Kong, dois cachorros tiveram resultados positivos para o teste do coronavírus, mas não desenvolveram sintomas.

Tigre em Nova York tem resultado positivo para o vírus

Uma tigresa do zoológico do Bronx, em Nova York apresentou contaminação pelo novo coronavírus. Nadia, de 4 anos de idade, foi testada após apresentar sinais de doença respiratória, segundo site The New York Times.

De acordo com o Departamento da Agricultura dos Estados Unidos, trata-se do primeiro caso confirmado de transmissão de humano para animal no país. Diversos outros tigres e leões também apresentaram sinais de ter contraído a covid-19.

Em entrevista, o veterinário-chefe do zoológico declarou que a suspeita é de que um funcionário do estabelecimento tenha infectado os animais com os quais teve contato. Não há relatos de animais doentes em outros zoológicos pelo país e, apesar dos sintomas respiratórios, é esperado que os felinos se recuperem sem muitas complicações.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Animais
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!