Um detalhe a respeito do cachorros é que estes Animais conseguem sentir alguns cheiros que muitas vezes os seres humanos não são capazes de detectar de forma alguma. E esta habilidade dos cães neste momento pode ser uma forte aliada para o combate do coronavírus no Brasil.

Diante disso, um grupo de cientistas do Reino Unido atualmente está treinando cachorros para que os animais consigam reconhecer o cheiro da Covid-19.

Estudos indicam que doenças podem ter cheiros. De acordo com algumas pesquisas, a febre amarela, por exemplo, possui um cheiro de carne crua. Por outro lado, a tuberculose aparentemente possui um cheiro inicial semelhante ao de uma cerveja velha e após um tempo se torna mais como uma espécie de salmoura.

Cheiro da Covid-19

De acordo com o que foi relatado pelo professor James Logan, chefe do departamento de controle de doenças da Escola de Higiene de Londres, e também da Medicina Tropical, o ser humano pode identificar uma colher de açúcar em uma xícara de chá, mas os cachorros conseguiriam detectar a mesma coisa em uma piscina olímpica. Com isso, é estimado que os cachorros possuam um olfato entre 10 mil a 100 mil vezes melhor do que o ser humano médio.

Os estudos começaram a ser feitos através de Asher, um cachorro da raça cocker spaniel. O animal chegou à organização Medical Detection Dogs (Cães de Detecção Médica) após ter tido vários donos ao longo de sua vida, mas não ter conseguido ficar com nenhum deles devido a uma hiperatividade que era apresentada pelo animal.

A Dra. Claire Guest, co-fundadora da Medical Detection, notou em Asher a possibilidade de que ele pudesse ser um bom detector de cheiros.

Com isso, ao lado do professor James Logan, ela começou o treinamento do animal, para que ele pudesse identificar pessoas que tivesse contraído malária e alguns dos testes iniciais que foram feitos com o animal para conseguir detectar doenças nas pessoas.

De acordo com o que foi divulgado, Logan e Guest tinham planos para que o projeto em questão relacionado a malária pudesse ser lançado ainda no primeiro semestre de 2020.

Contudo, devido à pandemia do Covid-19 ter chegado com total força, os planos da dupla de cientistas acabaram sendo um pouco modificados.

Devido às proporções que o vírus acabou tomando no mundo todo, Asher agora terá outro foco, e passou a ser trinado para detectar o cheiro do coronavírus.

Atualmente, o projeto da Covid-19 está em fase de coleta de amostras. O estudo está sendo feito com uso de meias de náilon que ficam com odores corporais, além também das máscaras faciais que são enviadas para cerca de 3.200 funcionários que fazem parte do Serviço de Saúde Nacional do Reino Unido, que irão usar as máscaras em questão por um período e que irão devolver para o laboratório em questão para que sejam feitas as análises.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Animais
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!