Uma das redes mais tradicionais e conhecidas no Sudeste do Brasil, a empresa holandesa Makro começou o ano de 2020 com algumas mudanças bruscas.

Segundo informações do Jornal da Manhã, seis lojas encerraram suas atividades comerciais e metade delas foi em Minas Gerais. As outras filiais estão no Espírito Santo, com fechamento de uma loja em Vila Velha e outra na Grande Vitória. Na Bahia, a cidade de Ilhéus também contabilizou um fechamento. Os mineiros de Belo Horizonte, Uberlândia e Uberaba não poderão contar mais com os serviços e a distribuição de produtos e bens feitos pelo Makro.

Muitas mudanças

Não se sabe como anda o clima organizacional dentro da empresa; todavia, o CEO da empresa, Marcos Ambrosano, saiu recentemente do Makro para assumir o Sam´s Club.

Por sua vez, o Makro não divulgou quantos empregos foram cortados em Minas Gerais, mas a assessoria de imprensa disse apenas que a empresa tomou uma decisão que garantisse “uma melhor eficiência operacional, assegurando a sustentabilidade do negócio por meio da priorização e diversificação de investimentos já para 2020”.

No caso da unidade situada em Uberaba, já corria o boato a respeito do fechamento desde janeiro do ano passado.

Ainda existe um certo desencontro de informações acerca do destino das unidades atingidas; tudo leva a crer que uma empresa mineira do ramo atacadista deve assumir algumas das plantas deixadas pelo Makro. O mesmo ocorre com as duas unidades do Espírito Santo, com previsão de reinauguração daqui a 60 dias. Entretanto, nem o grupo mineiro e nem o Makro confirmam a transação oficialmente.

Caso de Uberaba

Entrevistadas, as autoridades de Uberaba (MG) lamentam o desfecho ruim. Um deputado acredita que isso faz parte das mudanças no tocante aos investimentos e que o Makro atacadista está escolhendo outros rumos no Brasil. Indagado sobre qual rede começaria a operar no lugar do Makro, o deputado não quis dizer o nome do novo grupo.

Já para o Secretário de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Inovação, José Renato Gomes, a decisão tomada pela alta direção do atacadista está contida no que denominou de movimento de mercado, com aberturas e encerramentos das atividades de qualquer empresa.

Ele reconhece que isso não é uma boa notícia para a cidade; entretanto, ressalta que a Prefeitura frequentemente vai ao encontro de outras organizações e empreendimentos, na intenção de criar renda e empregos. Citou a vinda de três atacadistas e concluiu sua declaração de que nem sempre se pode interferir ou influenciar nas decisões das empresas.

O Makro se instalou em Uberaba no ano de 2009, injetando R$ 15 milhões, se considerarmos apenas o imóvel, e R$ 6 milhões em estoque. Naquela época, um dos diretores da empresa holandesa disse que a vinda geraria cerca de 250 postos de trabalho diretos e indiretos, sendo que 98% da mão-de-obra seria proveniente da própria cidade de Uberaba.

Siga a página Vagas
Seguir
Siga a página Negócios
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!