O auxílio emergencial foi uma das medidas criadas pelo governo federal a fim de mitigar os efeitos do novo coronavírus na economia do Brasil. Milhares de trabalhadores informais tiveram suas rendas diminuídas de maneira significativa após a COVID-19. Especialistas recomendam o isolamento social como carro chefe no controle na proliferação do vírus, o que impactou toda a economia do país. Desde que foram lançados, o aplicativo e site disponibilizados para acesso ao auxílio vem gerando dúvidas. Muitos cidadãos que se cadastraram no último dia 7 de abril, dia do lançamento da plataforma, ainda não tiveram o cadastro analisado, e outros milhares de cidadãos, tiveram o auxílio negado por algum motivo.

De acordo com o site G1, este grupo de trabalhadores terá a oportunidade de contestar a decisão. Desde a última sexta-feira (20), o app do auxílio emergencial passou a permitir que o cidadão refizesse o cadastro ou contestasse o resultado na análise efetuada pela Dataprev, responsável por validar os dados.

Contestação da análise do auxílio

Ainda de acordo com o site G1, poderão contestar ou refazer o cadastro tanto informais cadastrados pelo app ou site, quanto cidadãos inscritos no CadÚnico que ainda não receberam o auxílio. Os trabalhadores inscritos no CadÚnico que atendem aos requisitos exigidos por lei devem receber o auxílio de forma automática, sem a necessidade de realizar cadastro através de site ou app.

Já aqueles que possuem CadÚnico e tiveram o auxílio negado, poderão requerer uma nova análise através das plataformas.

Auxílio não aprovado ou 'dados inconclusivos'

O trabalhador que realizou o cadastro através do aplicativo ou site, deverá acompanhar a análise através das plataformas. A Caixa Econômica Federal afirmou que até o fim desta semana, disponibilizaria todos os resultados da análise feita pelo Dataprev.

Se o andamento do app ou site constar "Em análise", significa que a Dataprev ainda está analisando o cadastro. Se constar "Benefício não aprovado", o cidadão poderá contestar o motivo da reprovação através do aplicativo ou site. Por fim, se o andamento constar "Dados inconclusivos", o cidadão poderá refazer uma nova solicitação de auxílio.

Dentre os motivos para a inconclusão estão: falta de informação sobre o sexo do beneficiário, divergência entre cadastros de mesmo membro da família, informações incorretas sobre CPF e data de nascimento, entre outros.

3 em cada 10 pedidos de auxílio serão revistos

Segundo o site UOL, três em cada dez cadastros no auxílio emergencial precisarão passar por revisão. A Dataprev encerrou a primeira fase de análise dos cadastros de trabalhadores informais. Ao todo, foram analisados mais de 30 milhões de cadastros. Deste total, apenas 47, 5% atendem às regras para receberem o auxílio, ou seja, menos da metade dos inscritos analisados.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!