O Governo federal não vai começar a pagar nessa segunda-feira (27) a segunda parcela do auxílio emergencial de R$ 600,00, como prometeu ao anunciar os pagamentos dos auxílios. Segundo a Caixa Econômica Federal, que está efetuando os pagamentos, essa parcela depende do repasse de recursos pelo Ministério da Cidadania. Logo no início de abril, a Caixa junto ao governo divulgaram que o pagamento da segunda parcela do auxílio iria começar nesta última semana de abril. As pessoas que nasceram em janeiro, fevereiro e março receberiam já nesta segunda-feira (27).

Porém, hoje a Caixa anunciou que ainda não existe um calendário para o pagamento da segunda parcela do auxílio emergencial

Governo anunciou antecipação do auxílio emergencial

Na semana passada, o chefe geral da Caixa, Pedro Guimarães, confirmou em uma entrevista cedida a jornalistas que a segunda parcela do auxílio seria paga antecipada nos dias 27 para 23 de abril. Dias após, o presidente Jair Bolsonaro alegou que o anúncio da antecipação foi realizado sem seu conhecimento. Segundo o presidente, a primeira parcela precisaria ser paga para todos, o que ainda não aconteceu

Mudanças de planos

Durante a semana passada, o Ministério da Cidadania alegou que o governo não iria conseguir antecipar por "fatores legais e de orçamento".

Segundo o atual Ministro da Economia, Paulo Guedes, o valor vai ser usado para complementar o valor que deve ser pago referente a primeira parcela que ainda não foi efetuada para todos e também iria servir para pagar parte da segunda parcela. O governo federal alega que foi fundamental liberar alguns outros recursos para a primeira parte do auxílio, pois o número de pessoas que se cadastraram para receber o auxílio emergencial foi maior que o estimado.

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, confirmou que o governo vai definir no início desta ultima semana de abril um calendário de pagamento da segunda parcela.

Quem tem direito ao auxílio emergencial?

Para solicitar o auxílio, é necessário ter mais de 18 anos e se encaixar em determinados grupos. Esses grupos são: empregado que não têm carteira assinada; Autônomo; Desempregado MEI (microempreendedor de maneira individual) Contribuinte individual da Previdência; Porém, mesmo estando nesses grupos, a pessoa precisa estar dentro dos limites de renda estabelecidos na lei.

Pode receber quem possuir: uma família com renda mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.135) ou até mesmo uma renda mensal per capita (por membro da família) de até metade de um salário mínimo (R$ 522,50).

Demora para liberação do auxílio emergencial

O auxílio prometido pelo governo está causando muita estranheza e insatisfação por parte da população. Isso porque, o governo ainda não aprovou o cadastro de muitas pessoas, além de demorar para depositar o pagamento. Na semana passada, algumas pessoas tiveram seus pedidos negados e orientadas a solicitar novamente para receber ainda a primeira parcela do auxílio emergencial. Isso coloca o Brasil, que vive uma crise na saúde graças a pandemia, em uma crise econômica e também política.

Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!