Se é daqueles que deixa seus compromissos para a última hora ou é distraído, fique sossegado e respire. Neste ano, a entrega da declaração do imposto de renda foi estendida em dois meses.

Portanto, não roa as unhas e nem se descabele só porque perdeu o prazo limite de entrega, tradicionalmente marcado para todo dia 30 de abril.

Devido à pandemia de coronavírus e à maior dificuldade do contribuinte em reunir e buscar a documentação necessária para o preenchimento, o Governo Federal achou melhor adiar o prazo para 30 de junho.

Calendários simultâneos

Talvez seja a primeira vez na história que os calendários de entrega e de restituição do imposto de renda se sobrepõem em parte da época do ano.

É que o cronograma de restituição não foi alterado; isto é, manteve-se a primeira data do respectivo lote para 29 de maio. A última está prevista para 30 de setembro. Ao todo serão cinco lotes de restituição.

Para idosos, portadores de deficiência física ou mental e os que fazem parte do magistério terão prioridade em receber o dinheiro em suas contas. Após esse público-alvo, serão considerados os demais contribuintes.

O Leão está atento e não aceitará entrega de declarações após às 23h59min do dia 30 de junho. Caso isso ocorra, a pessoa estará pendente com a Receita Federal e poderá pagar uma multa de R$ 165,74 ou 20% do Imposto total devido. Também incide taxa de juros Selic sobre o número de dias em atraso.

Atualmente, a taxa Selic está em 3,75% ao ano.

Precisa declarar mesmo?

Geralmente, para aqueles que receberam mais de R$ 28.559,70 durante o ano de 2019 ou realizou algum tipo de negociação em mercados futuros e de ações, é obrigatória a prestação de contas com o Leão. O mesmo acontece para os que têm mais de R$ 300.000,00 em bens e patrimônio.

Há outros elementos – como os que possuem propriedade rural – que também determinam o preenchimento da declaração.

Nesse caso, o melhor é buscar informação na Internet ou com a própria Receita Federal. Quem recebeu abaixo do valor de R$28.559,70, estará isento de declarar imposto de renda.

Sortudos

Difícil dizer se o copo está meio cheio ou meio vazio, mas a Receita Federal divulgou até o dia 29/04, o acolhimento de aproximadamente 12,4 milhões de declarações.

É a parcela de brasileiros que optou pela precaução e quis ser mais rápido ao entregar o imposto de renda antecipadamente.

A expectativa dos funcionários da Receita Federal é o recebimento total de 32 milhões de declarações em 2020. Sendo assim e fazendo uma conta simples, restam 19,5 milhões de brasileiros que precisam enviar suas informações aos servidores do Fisco.

Uma novidade para o IR2020 é que se pode dispensar a informação do número do recibo de entrega da declaração anterior.

A Receita frisa que quem entrega e transmite o imposto de renda com antecedência, tem mais chances de se encaixar nos primeiros lotes de restituição. Como nos anos anteriores.

Quanto a algum problema de rede ou de instabilidade nas conexões com seus computadores centrais, o Fisco informa que até o presente momento não houve nenhum tipo de avaria, falta de energia ou de inacessibilidade.

Assim, o melhor é ficar de amizade com o Leão, pois, neste ano, mesmo com algumas medidas mais brandas, não há nada que diminua sua ferocidade.

Siga a página Governo
Seguir
Siga a página Negócios
Seguir
Siga a página Tendências
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!