O comércio brasileiro voltou a funcionar em todo o país, mas apesar disso o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) publicou um vídeo neste domingo (23) em que defende a reabertura dos demais estabelecimentos e reafirmou que infelizmente o Governo não tem condições de manter o auxílio emergencial no valor atual de R$ 600 mensais. Atualmente, o governo estuda criar uma Medida Provisória (MP) para ampliar o auxílio emergencial até dezembro, mas com valor reduzido.

O presidente voltou a atacar governadores e prefeitos ao afirmar que foram capazes de destruir empregos nos cinco meses em que perdura a pandemia do novo coronavírus e citou uma frase do discurso de Tedros Adhanom, diretor-geral da OMS (Organização Mundial da Saúde), na última sexta-feira (21), quando o representante disse que "a saúde e a economia são inseparáveis".

Bolsonaro afirmou desde o início da pandemia no Brasil que o comércio não poderia parar.

Entretanto, houve discordância por parte de governadores e prefeitos que determinaram o fechamento de parte do comércio para que aumentasse os níveis de distanciamento social, a fim de reduzir a pressão da Covid-19 nos sistemas de saúde no Brasil.

Bolsonaro fala sobre auxílio em entrega de obras no RN

Na última sexta-feira (21), enquanto cumpria sua agenda pelo Nordeste, Bolsonaro disse que o auxílio emergencial será estendido até o mês de dezembro deste ano, porém com valor inferior aos atuais R$ 600, e destacou que não será "para sempre".

Sua afirmativa se deu durante uma visita à comunidade da zona rural do município de Ipanguaçu, no Rio Grande do Norte, para entregar uma série de obras como a abertura do poço com dessalinizadores, a rede de Wi-Fi gratuita, além da entrega de títulos fundiários aos moradores.

Foi a primeira agenda oficial do presidente no estado após eleito presidente.

Bolsonaro e medidas tomadas para frear pandemia

No vídeo, o presidente ainda citou as medidas tomadas pelo governo quanto ao crédito e à possibilidade de suspensão de contratos e redução de salários e jornadas, o que teria possibilitado preservar cerca de 10 milhões de postos de trabalho.

O presidente Bolsonaro concluiu ressaltando que o valor gasto no auxílio emergencial é muito alto para o Brasil, apesar de se tornar pouco na mão do beneficiário, portanto reitera a necessidade de reabrir o comércio para que se possa "voltar à normalidade e resgatar os empregos".

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!