Um dos grandes obstáculos enfrentados pelos brasileiros, sobretudo os empreendedores, sempre foi a burocracia e o excesso de processos envolvidos para que se possa abrir e manter empresas no Brasil. Um sem número de declarações e informes exigidos, as chamadas "obrigações acessórias", muitas vezes tiram o sono de empreendedores país afora e elevam o próprio custo do produto vendido ou serviço prestado pelos mesmos.

Estudos apontam o Brasil como um dos países com pior ambiente de negócios dentre as economias emergentes e os motivos não são poucos: ambiente político conturbado, moeda fraca em relação à reserva de valor mundial (dólar), legislação tributária confusa, sistema judiciário lento e alto custo do capital, mesmo quando a taxa básica de juros da economia (Selic) encontra-se no menor nível da história, são alguns dos motivos que fazem com que nossa economia seja um lugar praticamente inóspito àqueles que desejam empreender por aqui.

Dentre todos os fatores possíveis de serem mencionados, um em especial aparece como extremamente sensível, já que é percebido antes mesmo do início das operações do futuro empreendimento: a burocracia.

O tempo que se consome desde a entrada na papelada até que a empresa fique pronta para operar varia de estado para estado, bem como de município para município, mas estima-se que em média um processo de abertura de um empreendimento no Brasil leve cerca de 18 a 20 dias para ser concluído. Isso tudo envolto a um vai e vem de testar a paciência até mesmo do Dalai Lama, com pedidos e requisições feitas em um órgão, para depois serem encaminhados a outro, e posteriormente aguardar retorno. Toda essa ciranda, além de tirar o sono de empresários e contadores, acaba também encarecendo os serviços prestados por esses profissionais, que são quem têm a árdua missão de desenrolar todo esse novelo.

Balcão Único

Com o intuito de agilizar o processo de instalação de novos empreendimentos, a Receita Federal, juntamente com o Serviço de Processamento de Dados Federal (SERPRO), lançou o Balcão Único, um sistema que irá permitir que todos os processos hoje realizados separadamente sejam integrados em um só formulário administrado pela própria Receita Federal.

Assim, as exigências de vários órgãos, das diversas esferas de administração, passam a ser coletados uma única vez, reduzindo a burocracia e o tempo de espera para se obter de fato permissão para um empreendimento atuar.

O primeiro município a aderir o projeto foi São Paulo (SP) que iniciou a operacionalização do novo sistema em 15 de janeiro. A próxima cidade a receber a implantação do projeto será o Rio de Janeiro, não por acaso, as duas cidades com maior concentração de negócios no país.

Posteriormente, o novo sistema será levado paulatinamente às demais cidades brasileiras.

Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!