Morreu nesta terça-feira (12) o ex-presidente do Vasco Eurico Miranda, aos 74 anos. Ele passou mal e deu entrada no Hospital Vitória, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro. As causas da morte ainda foram divulgadas.

Eurico Miranda encarou um câncer na bexiga e no pulmão, e, desde 2018, estava com um tumor no cérebro.

Publicidade
Publicidade

Ele esteve à frente da vice-presidência do Vasco entre 1990 e 2002. A equipe vascaína conquistou inúmeros títulos neste período, como o Brasileiro de 2017 e 2000, Copa Libertadores de 1998, Copa João Havelange de 2000 e a Copa Mercosul de 2000.

Fora do campo

Eurico Miranda sempre foi um nome muito conhecido dentro e fora dos gramados, polêmico por suas palavras e pelas diversas denúncias ao dirigente. Em 2001, foi indiciado por apropriação indébita do dinheiro do clube e falsidade ideológica, por usar laranjas para desvios de recursos do Vasco.

Eurico Miranda faleceu no Rio de Janeiro, ele estava com câncer no cérebro. (Foto: Reprodução/Arquivo BN)
Eurico Miranda faleceu no Rio de Janeiro, ele estava com câncer no cérebro. (Foto: Reprodução/Arquivo BN)

Eurico, afirmou na época que aquilo era uma briga política, ele defendeu-se dizendo que foi absolvido em tudo.

Ele foi deputado federal por dois mandatos, entre 1995 e 2002, e chegou a afirmar que existe propina no Futebol, mas que nunca se beneficiou destes pagamentos. Além de presidente do clube, foi presidente do Conselho Deliberativo e vice-presidente do Vasco.

Paixão ao Vasco

Mesmo com problemas de saúde, Eurico continuou a exercer o cargo de presidente do Conselho de Benemérito do Vasco.

Publicidade

O dirigente sempre acompanhou os jogos do time em São Januário, contudo as aparições públicas foram diminuindo. Eurico Miranda venceu um câncer de bexiga e de pulmão, era sempre visto de cadeira de rodas e um pouco debilitado.

O cartola era formado em direito e começou sua carreira no Vasco na década de 1960, onde conseguiu alguns feitos importantes para o clube, como trazer de volta ao clube o atacante Roberto Dinamite, que estava atuando no futebol espanhol, defendendo o Barcelona.

Ele também conseguiu articular a venda do ídolo vascaíno Romário para o time holandês PSV Eindhoven e comprar do rival Flamengo o jogador Bebeto.

Figura icônica do futebol brasileiro, era comum em entrevistas coletivas aparecer sempre com seu charuto e respondendo a jornalistas e afirmando que quem mandava no clube era ele. Nas redes sociais, o Clube de Regatas Vasco da Gama anunciou o falecimento do seu dirigente, e a direção do clube manifestou por meio da conta condolências à família e amigos.

Publicidade

Leia tudo