Repercutiu nas redes sociais americanas, e também brasileiras, o desfecho da luta do UFC 245, ocorrida na noite do último sábado (14), em Las Vegas (Estados Unidos), quando o lutador nigeriano-americano Kamaru Usman enfrentou o norte-americano Colby Covington. Covington é conhecido por ser apoiador do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e também por suas declarações consideradas racistas.

Tudo é política

Kamaru Usman é um negro de família de imigrantes. Antes da luta ele havia declarado que estaria representando a fúria dos imigrantes dos Estados Unidos. O lutador cumpriu sua promessa e, no quarto round, Colby Covington, o norte-americano tido como preconceituoso e fã do polêmico presidente estadunidense, foi nocauteado.

O combate teve que ser interrompido pelo árbitro para impedir que Covington tivesse ferimentos mais graves. Ele acabou tendo a mandíbula quebrada por Kamaru Usman. O lutador agora passa a ter em seu cartel 16 vitórias e somente uma derrota. Este fracasso aconteceu ainda em 2013, em sua segunda apresentação de MMA.

Brasil envolvido na luta do UFC 245

Kamaru dedicou a vitória ao povo brasileiro. “Brasil, essa é para vocês. É para o mundo todo”, disse o lutador ao final da luta. A mensagem para Brasil ocorreu porque, em 2017, em uma luta do UFC em São Paulo, Covington disse que o Brasil era um “chiqueiro” e ainda chamou os brasileiros de “animais imundos”. Kamaru, de 32 anos é casado com uma brasileira.

Em seu discurso para comemorar a vitória, Kamaru Usman disse que é o melhor do mundo e afirmou que iria continuar melhorando para proporcionar lutas como a que foi vista.

Apesar de ter perdido a luta e talvez ficar com a imagem um pouco mais arranhada, Colby Covington não tem do que reclamar do ponto de vista financeiro, pois tanto ele quanto seu oponente ganharam a quantia de US$ 50 mil, algo em torno de R$ 200 mil.

Na opinião dos promotores do evento, eles protagonizaram a melhor luta da noite.

Dana White, presidente do show, anunciou a premiação logo após o término do card, durante uma entrevista com jornalistas no ginásio T-Mobile Arena, em Las Vegas. O resultado manteve o atleta de origem nigeriana como o campeão dos meio-médios (77 kg).

Colby Covington foi para o hospital para receber tratamento médico por conta da mandíbula fraturada.

Além da luta principal, o evento contou ainda com mais três disputas de título. Como estratégia de marketing, Colby Covington fez todo o possível para irritar o campeão atual e talvez isso só tenha servido como mais um fator motivacional para que Kamaru Usman tenha entrado no octógono com mais vontade de vencer.

Siga a página ESports
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!