A Venezuela está a mais de 16 horas no escuro. O apagão atingiu o país na tarde de quinta-feira (7). Sem luz o Governo suspendeu as aulas e o dia de trabalho nesta sexta-feira (8). A falta de energia atinge a capital Caracas e outras cidades.

O apagão iniciou na tarde de ontem, às 16h50 (17h50 em Brasília), e foi gerado por falhas na hidrelétrica do país. Por conta, do problema o presidente Nicolás Maduro decidiu suspender as aulas e o dia de trabalho de hoje, para poder recuperar o fornecimento de energia na Venezuela.

O vice-presidente Delcy Rodrigues anunciou através do Twitter a suspensão.

De acordo com a imprensa local, o apagão atingiu quase todo o país, sendo que 23 dos 24 estados sofrem com cortes de energia: Zulia, Táchira, Mérida e Lara (oeste), Miranda, Vargas, Aragua e Carabobo (centro-norte), Cojedes (centro), Monagas e Anzoátegui (leste) e Bolívar (sul).

Maduro acusa governo americano pelo apagão

Para Nicolás Maduro, o responsável pelo apagão foi o governo norte-americano. Nas redes sociais o presidente acusou o imperialismo dos EUA de sabotar a geração de energia no país.

No Twitter, a estatal elétrica Corpoelec também manifestou que houve sabotagem na geração de energia e acusaram de haver uma ação intencional, alegando que faz parte de uma guerra elétrica contra o Estado.

A falta de eletricidade no país acaba afetando serviços como o metrô e o comércio, dificultando transações eletrônicas, algo bastante utilizado no país até para compra de produtos com valores muito baixos.

A partida entre Deportivo Lara e Emelec, do Equador, pelo grupo B da Libertadores, foi adiada para hoje à tarde.

Após o corte, durante a madrugada desta sexta, alguns pontos da capital Caracas voltaram a fornecer energia.

Colapso econômico na Venezuela

A produção de petróleo durante o governo de Hugo Chávez estava em crescimento. O commodity representava metade do PIB venezuelano. Quando Nicolás Maduro assumiu o governo, o preço do petróleo despencou.

Diversos indicadores caíram no seu governo. A previsão do PIB de 2019, por exemplo, é de US$ 87 bilhões. Em 2012, o PIB era de US$ 331,5 bilhões.

Durante o atual governo de Nicolás Maduro a economia entrou em recessão, hiperinflação e isso acabou gerando um desabastecimento geral, atingindo a educação e a saúde no país. Em 2019, a inflação pode atingir os 10.000.000%, segundo a estimativa feita pelo Fundo Monetário Internacional (FMI).

Siga as suas paixões.
Fique atualizado.

Não perca a nossa página no Facebook!