Um crime brutal ocorreu no Panamá nesta última semana. A polícia localizou os corpos de uma Mulher grávida e de seus cinco filhos menores de idade, além de uma adolescente de 17 anos, enterrados em uma fossa. Os corpos foram encontrados em uma região remota da província de Ngöbe-Buglé e teriam sido cometidos por uma seita religiosa que tinha sua atuação em uma região indígena afastada.

Os canais de televisão locais haviam divulgado na quarta-feira (15) que os corpos de 7 pessoas haviam sido encontrados em uma fossa na província e que outras 15 pessoas haviam sido resgatadas, com ferimentos. As pessoas localizadas com vida haviam sido sequestradas por membros da seita e eram submetidas a rituais de exorcismo.

Segundo informações repassadas pelo Ministério Público do Panamá, os corpos encontrados eram de uma mulher, que estava grávida de 4 a 6 meses, e de seus 5 filhos, que tinham 1 ano, 3 anos, duas crianças de 9 anos, e um de 11 anos. Foi encontrado também o corpo de uma adolescente de 17 anos junto com os outros.

Eles informaram ainda que 10 supostos líderes da seita 'A Nova Luz de Deus' haviam sido detidos e levados para a cidade de Santiago de Veraguas. De acordo com o Ministério Público, os homens acusados de terem cometidos os crimes serão encaminhados para o Tribunal de Garantias, que fica em Bocas del Toro. A ação policial evitou que 15 pessoas também fossem assassinadas pela seita, elas foram encaminhadas com ferimentos para hospitais locais.

Tortura às vítimas

De acordo com o procurador chefe Rafael Baloyes, as vítimas encontradas sem vida em uma fossa, possuem sinais de que haviam sido torturadas. Todos os detidos pela Polícia são indígenas e uma dessas pessoas presas é o avô das crianças encontradas mortas, mostrando isso que as vítimas e os líderes da seita se conheciam.

Os primeiros depoimentos coletados pela polícia mostraram que a mulher e seus filhos foram encaminhados para um local que era usado pela seita para a celebração dos cultos e nesse lugar, eles foram massacrados na última segunda-feira.

A fossa onde os sete corpos foram encontrados teria sido cavado por membros da seita, que vinham praticando o culto na região há pelo menos 3 meses.

Segundo moradores da região, os rituais praticados pela seita religiosa teriam se tornado violentos no último sábado, depois que um dos pastores disse que teria recebido uma mensagem divina para cometer os crimes. Por isso mesmo, as autoridades acreditam que evitaram a morte das 15 pessoas que foram salvas, elas se encontravam amarradas e haviam sido espancadas por membros da seita. A polícia encontrou no local improvisado pela seita, um bode morto, além de facões.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!