Em um momento delicado mundialmente, em que o planeta passa pelo grande desafio de enfrentar uma pandemia contra um vírus mortal, casos de intolerância, falta de humanidade e desunião marcam o mundo, deixando o momento mais triste e difícil de ser digerido.

Neste domingo (6), no período da noite, um grupo de pessoas tentou entrar em um ônibus na França sem pagar passagens e sem o uso máscaras para conter a propagação do novo coronavírus.

O caso aconteceu na cidade de Bayonne, sudoeste da França, onde o uso de máscaras em transportes públicos é obrigatório por lei.

Cumprindo seu trabalho e as leis do país, o motorista de ônibus, um senhor de 50 anos, tentou impedir a entrada do grupo no transporte e foi violentamente agredido.

O homem recebeu vários socos e as agressões ocasionaram uma grave lesão na cabeça. Ele foi encaminhado ao hospital, porém chegou inconsciente ao local. A equipe médica decretou morte cerebral nesta segunda-feira (6).

O ato contra o trabalhador gerou indignação entre os colegas. Vários motoristas e colegas de profissão decidiram paralisar o funcionamento dos transportes públicos nesta segunda-feira em protesto contra o ato brutal.

De acordo com informações da Polícia local, um dos suspeitos foi detido e os demais agressores estão foragidos.

Uso de máscara em transportes públicos

No dia 28 de abril deste ano, o governo francês anunciou a retomada gradual de diversos tipos de atividades, e reabertura do comércio, cumprindo as medidas de segurança da OMS, que inclui o uso das máscaras de proteção contra a Covid-19.

Alguns dias depois, em 11 de maio, a lei governamental foi alterada, exigindo o uso de máscaras também em transportes públicos do país.

O distanciamento social é uma das recomendações mais importantes da Organização Mundial de Saúde (OMS), porém, em transportes coletivos, é difícil manter a prática. Foi justamente tentando amenizar este problema que o governo francês optou pelo uso da máscara nos transportes.

Covid-19 na França

A França já registrou 166.960 casos confirmados da doença. Ao todo, 77.060 casos são considerados recuperados e 29.893 mortes foram registradas. O país chegou à bandeira "verde" em relação ao vírus, estágio de baixa propagação e fraca circulação do coronavírus.

Após uma dura quarentena adotada no país, moradores seguem a vida com retomadas gradativas, tentando voltar ao ritmo mais próximo ao normal possível.

Bares, cafés e restaurantes de Paris e redondezas voltaram a acolher seus clientes após quase três meses fechados por conta da pandemia de Covid-19.

Mesmo com alertas da OMS de que a pandemia não acabou, autoridades francesas informaram que a possibilidade de um novo confinamento é extremamente baixa.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!