O internauta que estava na lista dos 10 pedófilos mais procurados do mundo foi preso em uma cidadezinha no interior da França, suspeito de administrar sites de pedofilia na parte oculta da internet: a dark web.

Frédérique Porterie, promotora de Justiça do condado de Bordeaux, comunicou nesta segunda-feira (13) que o suspeito era uma dos alvos mais procurados e com maior prioridade do mundo.

A prisão

O homem, que tem um perfil extremamente comum, é um pai de família de 40 anos e não apresenta nenhuma passagem na Polícia. O suspeito foi preso no dia 7 de julho, em sua residência, localizada em uma zona rural no sudeste da França.

De acordo com o relato de fontes próximas ao caso, o pedófilo acusado de administrar sites de pornografia infantil, disponibilizando o acesso a milhões de pessoas em todo o mundo, também é suspeito de abusar de seus próprios filhos, gravar o momento dos abusos e em seguida postar em seus sites de pedofilia na dark web.

A promotora responsável pelo caso afirma que o homem admitiu os fatos e foi detido em prisão preventiva. Totalmente desconhecido da Justiça, o perfil extremamente comum impressiona, ele é casado, visto como pai de família, tem profissão e trabalha na região.

O responsável pelo escritório de Supressão da Violência contra Pessoas, Eric Bérot, afirma que por trás da imagem de um homem pai de família, existia um mega administrador de portais digitais de materiais pornográficos de crianças e adolescentes.

A investigação vinha sendo realizada pela OGRVP desde o ano de 2014, quando os crimes do suspito foram identificados pela polícia.

Eric afirma que a prisão do pedófilo é resultado de um grande trabalho em equipe de união e cooperação internacional, e conta que o homem usava apenas o idioma inglês para se comunicar nas redes, o que dificultava o trabalho dos investigadores na identificação de sua identidade e nacionalidade.

Foi graças à infiltração cibernética que conseguiram identificá-lo.

Pornografia infantil na dark web

A investigação realizada pela polícia francesa contou com trabalho em equipe. A colaboração da polícia europeia, Europol, foi essencial para a resolução do caso. A instituição possui uma célula de combate a redes de pedofilia a nível mundial na dark web.

O pedófilo desconhecido que se apresentava sempre através de pseudônimos era alvo da operação há 13 anos. No ano de 2007, o homem compartilhou arquivos de abusos sexuais infantis produzidos por ele mesmo, e nesta época o homem já administrava pelo menos dois portais de pornografia infantil na parte obscura da internet.

Depois destes anos de investigação, a polícia conseguiu finalmente identificar o IP do acusado, proporcionando a descoberta de sua identidade real.

Acusações

O homem, um internauta de 40 anos, foi acusado no dia 9 de julho deste ano. As acusações efetuadas são por crime organizado, gravação, produção, divulgação e posse de vídeos e imagens contendo pornografia infantil. Ele também foi acusado de abuso incestuoso de menor de 15 anos, referente ao crime de abuso cometido por ele contra os dois filhos.

Uma busca realizada em sua residência resultou na apreensão de computadores e equipamentos de informática, para que sejam feitas verificações de materiais usados na administração dos portais de pedofilia.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!