Na sexta-feira (29), a britânica Kandice Barber, uma professora de 35 anos, recebeu a condenação de cinco anos de prisão por manter relações íntimas com um aluno de 15 anos. Kandice é uma mulher casada, mãe de três filhos, e nega as acusações. Os investigadores encontraram mensagens eróticas e nudes que foram enviados para o celular do rapaz, como foi publicado pelo jornal The Sun.

Um juiz no tribunal de Amersham, Inglaterra proferiu a sentença. A professora recebeu a condenação por ter incitado uma criança em atividade sexual se aproveitando de sua posição de confiança, além de ter feito comunicação com conteúdo sexual com um menor de idade.

Kandice Barber admitiu que enviou as fotos íntimas e as mensagens eróticas, porém negou ter tido relações íntimas com o adolescente. A professora afirmou ainda que o jovem teria criado a história e relatado aos amigos para se vangloriar.

Barber foi presa no mês de março do ano passado, na ocasião ela pagou uma fiança para ter o direito de responder o processo em liberdade. Na época, o adolescente negou que as fotos tivessem sido endereçadas a ele e também disse que não teve nenhum relacionamento impróprio com a professora.

Segundo as investigações, no mês de fevereiro de 2020, Kandice teria pego o jovem na casa dele e teria estacionado em uma área de mata, então ela teria tido relação íntima com ele dentro do automóvel. Kandice Barber ainda teria ameaçado o jovem de acusá-lo de abuso, caso ele contasse o que aconteceu para alguém.

A investigação teve início depois que as autoridades tiveram acesso às fotos que a profissional da educação supostamente teria enviado ao aluno. Um amigo do garoto disse ter visualizado as fotos em que a professora aparecia nua no celular do amigo e também disse ter visto uma mensagem que Kandice perguntava o que ele mais gostava se era de seios ou de nádegas.

A professora teria então dado orientações para o aluno para não revelar o que havia acontecido para ninguém e para apagar as fotos, entretanto, o jovem revelou a colegas que teve relações íntimas com a professora.

Marido

No julgamento, o marido da mulher que está sendo investigada, Daniel Barber, saiu em defesa da esposa e disse que o casal tem um “casamento firme”.

Segundo ele, a relação deles nunca se alterou. Quando sua esposa está ao telefone, ele não a vigia para saber com quem ela está conversando, ele ainda relatou que confia totalmente nela. Quando ouviu a sentença, Daniel ficou indignado e disse que o que aconteceu era “uma piada”, disse ele aos berros.

A acusação disse que a professora se aproveitou de sua condição de educadora e membro confiável da comunidade para se aproveitar de um garoto que estava sob sua responsabilidade. Ainda de acordo com a acusação, as mensagens são vitais, pois mostram que a professora começou o contato com o jovem e começou a persegui-lo, chegando até mesmo a ameaçá-lo quando teve início a investigação.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!