A luta incansável do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para conseguir anular sua derrota nas urnas na eleição presidencial de 2020 tomou um caminho sem volta no último sábado (2).

O jornal The Washington Post obteve a gravação de uma conversa telefônica que durou uma hora. Na gravação, Trump fez pressão sobre o secretário de estado da Geórgia, o republicano Brad Raffensperger, para que este "encontrasse" votos que pudessem reverter a vitória do concorrente de Trump, o democrata Joe Biden.

Ameaça

Na gravação, o mandatário diz que Raffensperger poderia estar cometendo "crime" se não atendesse o seu pedido.

Donald Trump explicou que precisaria de 11.780 votos, o que seria apenas um a mais do que já tinha, pois, segundo Trump, já havia vencido na Geórgia.

O presidente Trump continua sua batalha para não aceitar a derrota no pleito, mesmo que a Justiça tenha negado todas as acusações de fraude que o mandatário fez contra as eleições presidenciais.

O presidente eleito Joe Biden tomará posse no próximo dia 20. O democrata derrotou Trump na Geórgia por uma diferença de 11.779 votos, de acordo com apuração realizada duas vezes.

Trump, então derrotado, tentou anular o resultado da Geórgia, que, junto com os resultados de Arizona, Michigan, Pensilvânia e Wisconsin, foram determinantes para a sua derrota.

O magnata de Nova Iorque não teve sucesso nos tribunais, incluindo a Suprema Corte, em suas acusações de fraude na eleição presidencial.

Até mesmo o secretário de Justiça William Barr, nomeado pelo próprio Trump, não encontrou irregularidades suficientes que pudessem ter mudado o resultado da eleição.

Em um trecho da gravação divulgada pelo The Washington Post, Trump afirma que os cidadãos da Geórgia estão revoltados e que não há nada de errado em admitir que os números que foram apresentados no estado estão errados.

Brad Raffensperger diz para o líder do Executivo que o problema é que os números apresentados por Trump é que não são exatos.

Em outro momento da conversa, Trump ameaça, de forma velada, Raffensperger. O mandatário diz para o funcionário da Geórgia que milhares de votos que foram dados para ele foram destruídos e que o secretário de Estado não poderia deixar isto acontecer.

Trump então continua dizendo que "isso é um crime" e que está preocupado com Raffensperger e o advogado deste, Ryan Germany.

Donald Trump, no domingo (3), usou sua conta no Twitter para admitir que houve a conversa por telefone com Brad Raffensperger, e aproveitou a oportunidade para atacar o secretário de Estado da Geórgia dizendo que Raffensperger não foi capaz de responder os questionamentos dele, Trump sobre a contagem de votos na Geórgia, contagem esta que a Justiça não detectou nenhum problema.

Não perca a nossa página no Facebook!