O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) utilizou as redes sociais nesta segunda-feira (15) para comunicar que em breve a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) irá receber um pedido para liberar um spray nasal que promete combater o coronavírus.

Bolsonero

A novidade foi publicada no Twitter pelo primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e compartilhada por Bolsonaro. A tradução do tuíte do hebraico para português, no entanto, refere-se ao mandatário brasileiro como “Bolsonero”. O fato gerou memes nas redes sociais, que comparavam o presidente do Brasil com o imperador romano Nero, que pôs fogo em Roma.

O medicamento citado por Jair Bolsonaro está em desenvolvimento no Centro Médico Ichilov, de Tel Aviv. Segundo o The Times of Israel, o hospital afirmou que a substância EXO-CD24 recuperou 30 pacientes que estavam em estado grave ou moderado do coronavírus. O teste foi realizado somente nesses 30 pacientes. Os estudos ainda se encontram na primeira fase.

O ocupante do Palácio da Alvorada já havia falado sobre o tema em sua live semanal na última quinta-feira (11). Bolsonaro naquele dia reconheceu que a substância ainda não possui comprovação científica, assim como a hidroxicloroquina, cloroquina, ivermectina e outros medicamentos utilizados no “tratamento precoce” que Bolsonaro e o Ministério da Saúde defendem.

Erro

Para quem tem conhecimento da língua hebraica, o erro não se encontra na grafia postada por Benjamin Netanyahu, que não errou na escrita do nome do líder do Executivo brasileiro.

A alteração no nome de Bolsonaro foi o suficiente para os internautas transformarem o erro em um dos temas mais comentados no Twitter.

Porém, o grande questionamento que fica é se o presidente brasileiro, ou seja lá quem for que postou o tuíte, reparou no “Bolsonero”. O próprio presidente Bolsonaro já declarou que seu filho Carlos Bolsonaro possui a senha de suas redes sociais.

A troca da letra “a” pela letra “e” na tradução do tuíte do primeiro-ministro de Israel não quer dizer o erro foi do israelense. O que pode ter acontecido é que Jair Bolsonaro (ou outra pessoa) tenha utilizado o tradutor da rede social, que possui uma parceria com o Google Tradutor.

O alfabeto hebraico não possui vogais, como na língua portuguesa, somente consoantes.

São usados sinais massoréticos, um sistema que indica o som das vogais, criado na Idade Média e com origem na Tibéria. Desta maneira, não dá para afirmar que a gafe tenha sido cometida por Netanyahu.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!