De acordo com a coluna da jornalista Sônia Racy, do portal ''Estadão'', a mulher de um ''jovem juiz'' foi pega em flagrante ''atropelando'' a Polícia Federal, o comandante do avião e a Lei. O ocorrido foi no aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília.

Na semana passada, a advogada causou tumulto e constrangimento no aeroporto após burlar o detector de metais, dando uma carteirada pra escapar do equipamento. A reação da advogada vai contra a Lei que seu próprio marido impõe na Suprema Corte.

Publicidade
Publicidade

De princípio, a reportagem do Estadão não revelou quem era a mulher, então houve rumores de que seria Roberta Rangel, mulher do ministro Dias Toffoli. No entanto, durante o programa da rádio ''Jovem Pan'', o jornalista Cláudio Tognolli revelou a real identidade da mulher: nada mais, nada menos que Viviane Barci de Moraes, a mulher o ministro Alexandre de Moraes, um dos mais jovens magistrados da Suprema Corte.

Tognolli afirmou que da mesma forma com que julga, a pessoa também será julgada.

A atitude de Viviane é contrária à Lei. Não há ninguém superior na Justiça, porém a advogada agiu de tal forma.

A advogada se esquivou em passar pelo detector de metais, foi interceptada na ida do avião, porém conseguiu o que os réus na Lava Jato não conseguem: passar por cima da Polícia Federal e fazer sua própria vontade.

Ainda não se sabe o que poderá acontecer com Viviane e se haverá algum processo envolvendo a mulher de Alexandre de Moraes.

Alexandre de Moraes no Supremo

A vaga do ministro foi dada pelo presidente da República Michel Temer, a decisão foi confirmada em 55 votos contra 13.

Publicidade

O ministro chegou à Corte com voto do PSDB e é o mais jovem componente, com apenas 48 anos de idade.

Moraes deixava evidenciar seu sonho em se tornar ministro. No entanto, um ''plano B'' seria se candidatar para governador do Estado de São Paulo nas eleições de 2018, provavelmente como candidato do PSDB.

O impeachment de Dilma Rousseff e a trágica morte de Teori Zavascki se tornaram portas de entrada para Moraes, o que antes era um sonho distante.

Os impactos das investigações da Operação Lava Jato trouxeram críticas a indicação de Moraes por suposta falta de imparcialidade. Os políticos opositores a Michel Temer avaliaram que a indicação do advogado mostra que o governo do emedebista, e sua turma do Congresso, teriam investigações barradas e estariam sendo privilegiados.

Na época da sabatina com senadores, Moraes negou todas as acusações.

Leia tudo