Nesta quinta-feira (3), o presidente Jair Bolsonaro do Partido Social Liberal, o PSL, concedeu uma entrevista ao Sistema Brasileiro de Televisão, o SBT. Lá, o capitão reformado evitou falar no que diz respeito à reeleição da Câmara dos deputados, principalmente no que tange o apoio na casa, já que o partido do qual faz parte selou apoio à candidatura de Rodrigo Maia, do DEM, o Democratas. Segundo informações da Folha de S.Paulo, a atitude de isenção do presidente Bolsonaro foi enaltecida por Maia, o deputado federal democrata rendeu elogios a Bolsonaro, mas deixou um aviso ao militar.

Publicidade
Publicidade

Rodrigo agora sai em busca de mais apoio, enquanto articula sua chegada ao posto de presidente na Câmara.

Como dito, consta no registro da Folha, um aceno positivo de Rodrigo Maia ao presidente, o democrata pretende permanecer na presidência com a reeleição

Ele caracterizou não só a posição do presidente como corretíssima, nas próprias palavras, como também destacou o fato de Bolsonaro não ter influenciado, decidido e nem participado publicamente qualquer candidatura.

Publicidade

Intrinsecamente, Rodrigo Maia relembra derrota de Dilma no Câmara

Apesar de ter ressalvado e resguardado o proceder do militar, consta nos arquivos da Folha que Rodrigo Maia completa seus 'elogios' ao capitão relembrando (mesmo que subjetivamente) a participação de Dilma e a derrota da mesma na Câmara: "Ele não tem por que perder essa eleição", consta no arquivo em fala atribuída à Maia.

Na época, mais precisamente em 2015, Dilma, quando era presidente da República, tinha apoiado Arlindo Chinaglia, também petista. No entanto, Chinaglia saiu derrotado, como consequência Eduardo Cunha,do MDB-RJ, saiu vencedor no pleito à presidência da Câmara dos deputados.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Eleições

Maia e sua reunião com Doria

Ainda nos registros da Folha (em que há uma fala creditada ao deputado Rodrigo Maia), afirma-se que o mesmo não quis comentar articulações de partidos aliados insatisfeitos com o PSL. Lá, é admitido que a tal declaração do Democrata ocorreu após uma reunião com o governador de São Paulo, João Doria do PSDB, o Partido da Social Democracia Brasileira. A reunião entre eles teria durado cerca de 40 minutos.

Especula-se ainda, que a tal visita de Rodrigo Maia ao governador tucano tenha sido mais do que meramente institucional, supõe-se de que o deputado tenha buscado Doria para costurar um apoio do PSDB.

De acordo com as informações dispostas, o tema da reunião foi a defesa da reforma da Previdência.

Apoios para a cadeira de presidente na Câmara

O governador João Doria por sua vez já resolveu apoiar Rodrigo Maia para a Presidência da Câmara, mas deixou claro que a orientação sobre isso cabe a Geraldo Alckmin.

Maia agora pretende procurar o presidente do PSDB.

Até o presente momento (ao que se sabe), Rodrigo Maia conta com os apoios do PSD (Partido Social Democrático) de Kassab, do PRB (Partido Republicano Brasileiro) e do PSL, o Partido Social Liberal.

Publicidade

Na sexta-feira (4), Doria, o governador de São Paulo, publicou uma nota para que Gilberto Kassab se afastasse devido a denúncias de corrupção.

Com isso, o ex-ministro poderá se dedicar melhor a sua defesa.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo