O presidente Jair Bolsonaro (PSL) permanece internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, após sete horas de cirurgia.

Bolsonaro deu entrada no hospital no último domingo (27), e a operação aconteceu no dia seguinte (28), por volta das 7h, e terminou mais ou menos às 15h30. Durante o procedimento houve a retirada da bolsa de colostomia que ele usava desde que sofreu o atentado durante sua campanha eleitoral, no dia 6 de setembro, em Juiz de Fora (MG).

A cirurgia teve "êxito", de acordo com a assessoria do Palácio do Planalto.

De acordo com o hospital, no procedimento também foi realizada a reconstrução intestinal --união do intestino delgado com o intestino grosso.

O presidente apresentou uma boa evolução clínica após o procedimento, conforme boletim médico divulgado pelo hospital na manhã desta terça-feira. Bolsonaro continuará em repouso por 48 horas, sob supervisão médica, e não poderá receber visitas.

Nesse período, o presidente interino Hamilton Mourão é quem assume o comando da presidência.

Ele irá conduzir hoje a reunião ministerial a respeito da tragédia de Brumadinho, em Minas Gerais.

Segundo Otávio do Rêgo Barros, porta-voz da Presidência da República, Bolsonaro deve ter alta do hospital em 10 dias. Ao ser questionado sobre quem vai arcar com os custos da cirurgia, ele disse não ter tais informações no momento.

Cirurgia

A operação foi necessária para reconstruir o "trânsito intestinal", segundo o boletim.

Ainda de acordo com o porta-voz, ao longo da operação não foi necessária transfusão de sangue e não houve intercorrências.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Jair Bolsonaro Governo

Cerca de uma hora depois do fim do procedimento, às 16h35, o presidente postou em seu perfil oficial no Twitter uma mensagem positiva, usando três emoticons: bandeira do Brasil, sinal de positivo e mãos postas.

Hoje, ele também usou o Twitter para falar sobre sua recuperação: "Foram tempos difíceis, consequência de uma tentativa de assassinato que visava destruir não só a mim, mas a esperança de muitos brasileiros num futuro melhor. Agradeço a Deus por estar vivo, aos profissionais que cuidaram de mim até aqui e a todos vocês pelas orações!

Estou bem", disse.

Jair Bolsonaro está acompanhado da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, e de seus filhos Eduardo, Flávio e Renan.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo