As eleições para a Presidência da República, Senado, Câmara e Governos estaduais agitaram o Brasil em 2018. A política dividiu o país em dois lados, tanto em nível nacional quanto em nível regional, e políticos tradicionais, muitos deles, não conseguiram reeleição. Este não foi o caso de Jean Wyllys (PSOL-RJ), que acabou levando uma das últimas vagas à Câmara Federal. Entretanto, uma notícia que surgiu nesta quinta-feira (24) revelou que o político decidiu abrir mão de seu mandato e sair do país.

Aliás, essa promessa já havia sido feita anteriormente pelo político, que também é ex-BBB.

O político, que ficou famoso por defender causas LGBT e chegou quase às vias de fato contra o atual presidente Jair Messias Bolsonaro (PSL), quando os dois eram deputados federais, revelou em seu perfil em uma rede social que está sendo ameaçado. Na mensagem de despedida, o político afirou: “preservar a vida ameaçada é também uma estratégia da luta por dias melhores".

PSOL confirma saída de Jean Wyllys

A assessoria de imprensa do PSOL confirmou a informação de que o candidato deixará seu mandato para o suplente David Miranda (PSOL).

Por conta disto, não haverá perda de bancada do partido no Congresso Nacional.

Jean Wyllys curte férias fora do país. O deputado Ivan Valente (PSol/SP) também confirmou publicamente a decisão de seu colega de partido e também disse que a decisão já havia sido previamente negociada e informada a colegas e ao partido. O político finalizou a comunicação confirmando também que Jean estava sofrendo ameaças, sem especificar qual a origem ou conteúdo das mesmas.

Folha revela que Caso Marielle teve peso na decisão do político

O Caso Marielle (PSol/RJ) ficou conhecido nacional e internacionalmente e também teve peso na decisão do político. Tudo porque, segundo investigações do caso, um líder miliciano, ex-pm, que pode ter envolvimento com o assassinato da política, teve a mãe e a esposa empregadas no gabinete de Flávio Bolsonaro, que foi eleito senador e é filho do presidente da República, Jair Bolsonaro.

Segundo Jean, os ataques homofóbicos que ele afirma ter sofrido pelo presidente também influenciaram em sua decisão. A publicação na íntegra pode ser vista a seguir.

Jean Wyllys é o primeiro político abertamente gay a defender a agenda LGBT no Congresso.

O político também participou e venceu a quinta edição do BBB, a mesma de Grazi Massafera.

Não perca a nossa página no Facebook!