O vice-presidente da República, Antonio Hamilton Mourão, fez duras críticas ao Ministério Público do Rio de Janeiro na investigação que envolve o senador eleito Flávio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro. Mourão disse, em uma entrevista ao Jornal O Globo, neste sábado (19), que está faltando ao MP foco nas investigações e que existe por trás de tudo isso um tipo de "sensacionalismo".

De acordo com Mourão, existem várias pessoas investigadas na Operação Furna da Onça, no entanto, o alvo está sendo apenas Flávio.

O vice ressaltou que as quantias ligadas ao envolvimento do filho de Bolsonaro são menores do que de outros e reiterou que as maiores estão ligadas, segundo ele, a um deputado do Partido dos Trabalhadores. Conforme dizeres do general, ele estranha que ninguém está falando sobre as outras quantias.

Mourão acredita que o nome Bolsonaro está tendo peso para que o MP foque apenas em Flávio e não nos outros investigados.

Ele entendeu que a imprensa não teria culpa sobre isso já que apenas repassa o que chega a ela. Mourão pede mais foco para o MP e que busque a investigação completa e não apenas às quantias ligadas a Flávio.

Distanciamento do governo

Hamilton Mourão também enfatizou que essa questão de Flávio não tem nada a ver com o Governo federal. O vice-presidente afirmou que apenas o senador e os seus assessores podem explicar sobre os supostos envolvimentos.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Governo

Ele falou que também está aguardando todos os esclarecimentos.

Mesmo muitos falando que o governo poderia estar em uma crise diante desse assunto, Mourão minimizou e disse que a "normalidade será mantida". Vale ressaltar que Bolsonaro viajará no domingo (20) à Suíça, onde participará do Fórum Econômico Mundial, em Davos. Nesse período, Mourão estará no lugar de Bolsonaro na Presidência do Brasil.

Congresso

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, que tenta a reeleição, disse que essas investigações que envolvem Flávio Bolsonaro não comprometerão as medidas importantes do governo no Congresso, no caso, as prioritárias, como por exemplo, a Reforma da Previdência.

Eduardo Bolsonaro já foi mais contundente e saiu em defesa do irmão. Em um vídeo publicado no perfil dele, o advogado Alexandre Pacheco critica os integrantes do MP e diz que eles são passíveis de defeitos.

Segundo o advogado, o Supremo Tribunal Federal (STF) é que deve conduzir as investigações que envolvem Flávio. Ele ressaltou que o caso tem apenas o intuito de atrapalhar o governo de Bolsonaro.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo