O vice-presidente da República, Antonio Hamilton Mourão, fez duras críticas ao Ministério Público do Rio de Janeiro na investigação que envolve o senador eleito Flávio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro. Mourão disse, em uma entrevista ao Jornal O Globo, neste sábado (19), que está faltando ao MP foco nas investigações e que existe por trás de tudo isso um tipo de "sensacionalismo".

De acordo com Mourão, existem várias pessoas investigadas na Operação Furna da Onça, no entanto, o alvo está sendo apenas Flávio. O vice ressaltou que as quantias ligadas ao envolvimento do filho de Bolsonaro são menores do que de outros e reiterou que as maiores estão ligadas, segundo ele, a um deputado do Partido dos Trabalhadores.

Conforme dizeres do general, ele estranha que ninguém está falando sobre as outras quantias.

Mourão acredita que o nome Bolsonaro está tendo peso para que o MP foque apenas em Flávio e não nos outros investigados. Ele entendeu que a imprensa não teria culpa sobre isso já que apenas repassa o que chega a ela. Mourão pede mais foco para o MP e que busque a investigação completa e não apenas às quantias ligadas a Flávio.

Distanciamento do governo

Hamilton Mourão também enfatizou que essa questão de Flávio não tem nada a ver com o Governo federal. O vice-presidente afirmou que apenas o senador e os seus assessores podem explicar sobre os supostos envolvimentos. Ele falou que também está aguardando todos os esclarecimentos.

Mesmo muitos falando que o governo poderia estar em uma crise diante desse assunto, Mourão minimizou e disse que a "normalidade será mantida". Vale ressaltar que Bolsonaro viajará no domingo (20) à Suíça, onde participará do Fórum Econômico Mundial, em Davos. Nesse período, Mourão estará no lugar de Bolsonaro na Presidência do Brasil.

Congresso

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, que tenta a reeleição, disse que essas investigações que envolvem Flávio Bolsonaro não comprometerão as medidas importantes do governo no Congresso, no caso, as prioritárias, como por exemplo, a Reforma da Previdência.

Eduardo Bolsonaro já foi mais contundente e saiu em defesa do irmão.

Em um vídeo publicado no perfil dele, o advogado Alexandre Pacheco critica os integrantes do MP e diz que eles são passíveis de defeitos.

Segundo o advogado, o Supremo Tribunal Federal (STF) é que deve conduzir as investigações que envolvem Flávio. Ele ressaltou que o caso tem apenas o intuito de atrapalhar o governo de Bolsonaro.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!