O ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro, reuniu-se na noite desta sexta-feira (18) com representantes da OEA (Organização de Estados Americanos) e com a oposição venezuelana para discutir os procedimentos que serão tomados diante de supostas movimentações suspeitas de integrantes do chavismo no Brasil. O ministro teria determinado que medidas imediatas seriam adotadas e as investigações avançariam contra essas operações suspeitas.

Publicidade
Publicidade

O presidente do Tribunal Supremo de Justiça da Venezuela no exílio, Miguel Ángel Martín, e Gustavo Cinosi, assessor da OEA, pediram para que Moro pudesse seguir os procedimentos que estão configurados na Convenção de Palermo. Segundo ele, cada país tem o dever de investigar tudo aquilo que envolve o território nacional para ver se não há nada de irregular em movimentações financeiras.

Moro quer analisar e avançar contra ações consideradas suspeitas de integrantes ligados à ditadura venezuelana.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Sergio Moro Governo

Martín comentou que trouxe a Moro possíveis linhas de investigação. De acordo com o presidente do Tribunal Supremo de Justiça, na Venezuela existem coisas que acontecem e não são simples ato de peculato, mas sim, crimes graves que devem ser combatidos. Ele ainda ressaltou que a Venezuela é um banco que financia o terrorismo e o narcotráfico.

Martín também reiterou que Sergio Moro, por ter sido um exemplo na atuação contra o crime de corrupção, através da Operação Lava Jato, ajuda a criar neles a esperança de que se pode sim combater a impunidade.

Publicidade

Investigações

O pedido de rastreamento dessas movimentações financeiras suspeitas foi apresentado ao Governo brasileiro na quinta-feira (17), em uma reunião com representantes do países que integram o Grupo de Lima, dos Estados Unidos e da OEA.

Roderick Navarro, do grupo Rumbo Libertad, participou do encontro e disse que o objetivo é que esse tipo de investigação possa propagar para outros países e o cerco se fechar diante das investidas de integrantes do chavismo em operações irregulares.

Para ele, o Brasil será protagonista disso e a Venezuela terá desmascarada a rede financeira do governo.

Para Navarro, a presença de Sergio Moro nessas ações é de suma importância para que as coisas vão na direção certa já que ele foi o responsável em conduzir a Lava Jato, operação de grande sucesso no combate à corrupção, e é o ministro da Justiça de um governo que afirma ser contra a corrupção.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo