Nesta última quinta-feira (28), uma reportagem da revista Época revelou que um dos filhos do presidente Jair Bolsonaro, Carlos Bolsonaro, fez uma "aposta furada" na Bolsa de Valores. O investimento, segundo a publicação, foi realizado através da corretora Intra. O valor aplicado foi de R$ 130.800,00, em 2007.

Entretanto, após o primeiro aporte, o ano de 2009 foi marcado pela crise internacional. Carlos perdeu os R$ 130 mil aplicados e ainda ficou devendo cerca de R$ 15.500,00 à corretora. A Época levantou em questão os valores aplicados pelo vereador do Rio de Janeiro, que na época tinha 25 anos.

Como vereador, Carlos recebia mensalmente o salário de um pouco mais de R$ 9 mil.

Em 2008, a declaração de bens do vereador à Receita foi de um carro no valor de R$ 65 mil e um apartamento no valor de R$ 195 mil. Contudo, o valor investido na corretora soma metade dos seus bens.

Carlos ficou inconformado com a perda

Ao notar o ocorrido em 2010, Carlos Bolsonaro foi até a Justiça pedir o ressarcimento do prejuízo e também pedido de indenização por danos morais. Contudo, a juíza responsável pelo caso, Gisele Valle Monteiro, considerou improcedente e refutou a tese de que Carlos ignorava o que acontecia com seu dinheiro aplicado.

Quem também perdeu dinheiro com a corretora foi um dos irmãos de Carlos, Flávio.

O atual senador disse que investiu R$ 90 mil entre agosto e setembro de 2007. Além do mais, disse que teve conhecimento do prejuízo através de um corretor. Com isso, Flávio realizou o depósito de R$ 15.500,00 para a corretora Intra.

A revista Época tentou contato com o vereador, porém a assessoria disse que ele não está concedendo entrevistas.

Os assessores de Flávio disseram que o senador não iria se pronunciar sobre o caso.

Carlos Bolsonaro defende reforma da Previdência

Através de publicação no Twitter, Carlos Bolsonaro defendeu a reforma da Previdência. Carlos foi escolhido pelo pai para fazer campanha da reforma nas redes sociais. Segundo a Folha de S.Paulo, os internautas reagiram.

Em um cometário, um internauta disse que mesmo tendo votado no número 17, não estaria de acordo com a reforma.

Outro pediu para que Carlos dissesse ao seu pai para realizar uma live ao vivo, explicando como funciona a reforma e como "se aposentar aos 33 anos". Em outro comentário, um internauta disse que nem Carlos defendia a reforma e agora pede para que os deputados votem favoráveis.

No entanto, outros internautas também mostraram compactuar com a ideia, e uma parte dos comentários mostrou posicionamento neutro.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!