O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) foi inocentado pela 12ª Câmara do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. Nesta última quarta-feira (27), os desembargadores decidiram por trancar investigações que apontavam crimes de Corrupção e lavagem de dinheiro contra o ex-prefeito e também candidato derrotado nas eleições presidenciais de 2018.

Na denúncia feita pelo Ministério Público do Estado, o empreiteiro Ricardo Pessoa, um dos delatores da Lava Jato, foi apontado como o pagador de gráficas nas quais Haddad estava devendo, utilizando-se de dinheiro de caixa dois para quitar a dívida da campanha do ex-prefeito.

Contudo o pagamento seria uma forma de trocar benefícios com a UTC Engenharia.

Ainda segundo informações do Ministério Público, Haddad pediu a quantia de R$ 3 milhões, através do ex-tesoureiro de seu partido, João Vaccari Neto, para quitar dívidas da gráfica do ex-deputado estadual, "Chicão Gordo", (PT). Entretanto, o valor de repasse revelado pela Promotoria foi de R$ 2,6 milhões.

Voto do desembargador

Conforme entendimento do desembargador Vico Mañas, não foi esclarecido quais seriam as vantagens da empreiteira. Sendo que, os interesses da UTC foram contrariados pela gestão municipal através do cancelamento de um contrato assinado pela empresa para a construção de um túnel.

Quem também concordou com a tese da defesa foi o representante do Ministério Público, Mauricio Ribeiro Lopes.

Ele acredita que a acusação falhou ao descrever o crime e ao trazer os elementos principais para análise.

A defesa de Fernando Haddad sinalizou que o tribunal reconheceu as falhas na acusação. Os advogados Pierpaolo Cruz Bottini e Leandro Racca disseram que agora estaria encerrada uma "injustiça" que ocorria há meses.

A defesa de João Vaccari Neto reforçou o fim da sentença e também evidenciou que isso tranca o processo penal, traduzindo justiça para o caso.

Promotor de Justiça

O promotor de Justiça Marcelo Mendroni disse que discorda totalmente do resultado, porém respeita. Mendroni enfatizou que realizou um intenso trabalho técnico, utilizando como base conceitos internacionais de países que conseguem combater com eficiência crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

Mendroni citou que é desta forma, com o combate firme a corrupção, que deseja que o Brasil chegue um dia a outro patamar.

Segundo informações publicadas no site do jornal O Estado de S. Paulo, a Procuradoria Geral de Justiça do Estado de São Paulo irá recorrer da decisão.

Siga a página Lava Jato
Seguir
Siga a página Corrupção
Seguir
Siga a página PT
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!