O autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, irá realizar uma visita ao Brasil nesta quinta-feira (28), para encontro bilateral com o presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro. Vale ressaltar que o líder oposicionista venezuelano se encontra na Colômbia, sob o risco de ser preso se voltar ao seu país. No entanto, o Palácio do Planalto fez a confirmação oficial da reunião entre o presidente brasileiro e Guaidó, através do vice-presidente da República, Antônio Hamilton Martins Mourão, que esteve na Colômbia para o encontro do chamado Grupo de Lima.

Publicidade
Publicidade

Recentemente, os governos do Brasil e da Colômbia tentaram, por meio de seus territórios, possibilitar a entrada de ajuda humanitária à população venezuelana. Porém, soldados do Exército da Venezuela e a Guarda Civil Bolivariana não permitiram o ingresso da ajuda, por determinação do presidente Nicolás Maduro.

Viagem de Juan Guaidó ao Brasil

De acordo com fontes da assessoria de Guaidó, não chegou a ser detalhado o itinerário relacionado à visita ao Brasil.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Governo

Entretanto, segundo aliados do líder oposicionista, haveria a possibilidade de que ele chegasse ao Brasil por volta das 22h desta quarta-feira (27). Juan Guaidó já é reconhecido como presidente interino da Venezuela por mais de cinquenta países de todo o mundo.

O objetivo da visita de Guaidó, além de angariar mais apoio à sua condução do país vizinho ao Brasil, seria também em tom de agradecimento ao presidente Jair Bolsonaro pelo apoio recebido.

Publicidade

Deverão ser tratados, ainda, assuntos relativos a uma possível transição de Governo no país sul-americano, que se encontra em grave crise econômica e política.

Vale ressaltar que o Brasil, ao lado da Colômbia e em coordenação com os Estados Unidos da América, implementou a tentativa de um plano de ajuda humanitária na Venezuela, por meio da cidade fronteiriça de Pacaraima, no estado de Roraima. Um outro tema que poderá ser tratado entre Guaidó e Bolsonaro é como se dará o retorno do venezuelano ao seu país, já que há o risco de que o mesmo seja detido por tropas militares leais a Maduro.

Apesar de duras críticas feitas a Maduro no encontro recente do Grupo de Lima, ocorrido na Colômbia, a declaração final que reúne 14 líderes de países das Américas descartou qualquer possibilidade, até o momento, de intervenção militar para a retirada de Maduro do poder na Venezuela. Desde a data de 23 de fevereiro, quando Juan Guaidó se autoproclamou presidente interino da Venezuela, vários países aliados aos Estados Unidos apertaram o cerco contra o regime de Maduro.

Publicidade

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo