O ex-procurador-Geral da República Rodrigo Janot resolveu adiar sua aposentadoria após suspeitar ser alvo de investigação pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Recentemente, o ex-procurador enviou dois ofícios ao gabinete de Dodge pedindo esclarecimento se ele é ou não alvo de investigação sigilosa.

Segundo informações da revista Época, o ex-procurador foi avisado através de interlocutores de sua confiança de que haveriam investigações sobre ele na PGR.

No entanto, Raquel Dodge respondeu o documento dizendo que não há nenhum processo que envolva Janot.

Ainda assim, Janot suspeitou que poderia ocorrer investigação de caráter sigiloso após ter recebido o número do PIC (Procedimento Investigativo Criminal). Conforme informações levadas ao ex-procurador, a investigação seria sigilosa e teria Janot como um dos suspeitos. Dessa forma, Rodrigo Janot não sabia qual o motivo da investigação e também quem estaria envolvido no caso juntamente com ele.

Em segundo pedido enviado para Dodge, Janot deixou claro que gostaria de uma "certidão de inteiro teor" e também esclarecimentos por parte de Dodge se há ou não investigação sigilosa. É válido ressaltar que conforme o Supremo Tribunal Federal (STF), qualquer pessoa tem o direito de saber se é investigado ou não, mesmo que de maneira sigilosa. Segundo o Supremo, caso não haja conhecimento, o suspeito não teria o poder de exercer sua defesa, algo que é assegurado pela Constituição Brasileira.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lava Jato Corrupção

O ex-procurador tem foro privilegiado no Superior Tribunal de Justiça (STJ), podendo não ser julgado na primeira instância. Segundo informações da Época, Rodrigo Janot teria declarado que se houvesse alguma investigação envolvendo ele, há a preferência de que o caso fosse julgado por tribunal superior.

As chances de Raquel Dodge na Procuradoria

Em setembro deste ano, Raquel Dodge vence seu mandato como procuradora-Geral da República.

No entanto, as chances da Procuradora ser reconduzida ao cargo têm diminuído. A lista é feita pela Associação Nacional de Procuradores da República (ANPR), e é realizado uma eleição onde os três principais nomes serão levados ao presidente Jair Bolsonaro.

Recentemente, Dodge enfrenta crise com procuradores. Dois membros que trabalhavam diretamente em seu gabinete pediram demissão. O clima ficou tenso após a procuradora ir contra membros da força-tarefa das investigações da Operação Lava Jato.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo