A investigação da morte do Pastor Anderson do Carmo tomou novos rumos nesta quinta-feira (20). Um dos filhos do pastor com a deputada Flordelis admitiu ter disparado contra o padrasto na madrugada de domingo (16), quando o mesmo veio a óbito em sua residência.

Anderson tinha 55 filhos com a deputada federal Flordelis, sendo 4 biológicos e 51 adotados. Flávio, de 38 anos, que é filho biológico apenas da pastora, mas que foi adotado pela vítima, assim como os outros filhos, confessou em depoimento que atirou seis vezes no pai, vindo a tirar a sua vida.

Ele disse que seu irmão Lucas, de 18 anos, foi quem comprou a arma que ele usou contra o pai, mas não disse se o mesmo também disparou. Até então, Flávio havia confessado apenas que era um dos que planejaram o assassinato do pastor. Ainda não estão muito claras as motivações para o assassinato.

A arma usada para tirar a vida de Anderson foi encontrada em cima de uma armário usado pelo rapaz na casa em que morava com a família. Em uma busca feita pelos investigadores à residência da família, a arma foi encontrada no quarto do rapaz. Lucas e Flávio tiveram um pedido de prisão temporária expedido pela justiça do Rio de Janeiro após uma acareação entre os dois, ocorrida nesta quinta-feira (20). Vale lembrar que os dois já se encontravam presos desde o começo da semana por terem mandatos abertos devido ao envolvimento no tráfico de drogas, no caso de Lucas, e por violência doméstica, no caso de Flávio.

Novidades no caso

Os investigadores já descartaram a possibilidade de ter ocorrido um roubo seguido de morte, como alegou a Deputada Flordelis. As imagens das câmeras de segurança não mostraram nenhum suspeito entrando ou saindo do imóvel.

Durante a noite desta quinta-feira uma novidade sobre o caso foi divulgado pelos principais jornais do Brasil.

Segundo informações repassadas, um filho da deputada prestou depoimento nesta mesma quinta-feira (20), e revelou um possível envolvimento da mãe e de mais 3 irmãs no assassinato do Pastor.

Segundo o mesmo, a mãe e as irmãs colocavam remédios na comida do pastor, o que vinha causando problemas de saúde no mesmo. Além disso, ele afirmou que uma das irmãs teria oferecido R$ 10 mil para que o irmão Lucas, de 18 anos, tirasse a vida do Pastor Anderson.

Ele ainda informou à polícia que durante o mês de fevereiro, o pai tinha recebido uma ameaça de morte em seu celular e que a deputada Fordelis já havia dito que a 'hora do pai estava chegando'. O rapaz garante que a comoção demonstrada pelos familiares durante o velório e enterro do pai não passou de um teatro.

Os investigadores estão à procura dos celulares do Pastor, da deputada e do filho Flávio que estariam desaparecidos. Eles acreditam que podem ajudar a elucidar o crime e suas motivações.

Siga a página Famosos
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!